Sobre o Inumeráveis

Arminda Aucea de Oliveira Tavares

1956 - 2020

“Eu vou fazer, eu não desisto”, era o mantra de Dona Arminda.

"Ensinou muitas coisas valiosas. A principal, para mim, foi sobre a persistência nos sonhos e objetivos", revela a sobrinha e afilhada Maysa, sobre a pessoa que, segundo ela, foi a mais positiva que que o mundo pôde ter conhecido.

Tendo assumido tantos títulos para cuidar de quem tanto amou, Arminda foi a filha, a irmã, a mãe, a tia, a avó, a esposa, a amiga e a madrinha.

Em qualquer dos postos, era sempre perseverante, humana, companheira, carismática e amorosa. "Ô, bixinha, fica assim não!", foi o seu marcante bordão que, em cinco palavras, atesta e eterniza aqui a profundidade de todos os adjetivos citados.

Arminda nasceu em Barbacena (MG) e faleceu em São Paulo, aos 64 anos, vítima do novo coronavírus.

História revisada por Rayane Urani, a partir do testemunho enviado por sobrinha e afilhada Maysa Aquino, em 1 de maio de 2020.