Sobre o Inumeráveis

Elíada Monteiro de Albuquerque

1966 - 2020

Ela deixava de fazer para si mesma, para fazer pelas outras pessoas.

"Minha irmã era um anjo, por isso Deus a quis ao lado dele novamente, aliás, quis minhas duas irmãs", diz Sulamita.

Para Leida Nichilo, "A Eli era a um doce de pessoa, a melhor amiga que já tive na vida". Não julgava. "Está feliz? Então vamos pagar pra ver!". Coisa de melhores amigas, uma no Brasil e outra nos Estados Unidos. Inseparáveis, apesar da distância.

A mãe do Vini, a quem amou e cuidou com todas as forças do seu coração. Uma super mãe, guerreira e muito batalhadora!

Como filha, impecável e incansável. Repartia com a irmã Raquel toda a rotina da mãe, portadora de Alzheimer. Dia e, principalmente, noite.

Nas palavras da outra irmã, Ellen, o coração generoso de Elíada merece ser recordado: "quando descobriu que estava infectada, não encontramos a medicação em nenhum lugar, então, uma amiga conseguiu 4 comprimidos para ELA. Nossa prima apresentava sintomas, mas não tinha diagnóstico. A Eli disse: reparte a medicação, pois sei que ela também está doente...". E assim foi feito.

Ellen continua: "Sempre foi assim em tudo, repartia. Muitas vezes deu tudo o que tinha. Era a simplicidade em pessoa, usava apenas um batom e nada mais... nada além de um lindo sorriso e muito amor pra dar".

Elíada era dona de um lindo nome, de significado especial: Deus me conhece.

Conhece tão bem que a quis mais cedo. Ao anoitecer do dia 25.04.2020, ela se foi, deixando uma enorme saudade.

A Mãe ainda não sabe o que houve. Insistentemente, pergunta: "E as minhas filhas? Esse trabalho delas está demorando muito! Que horas elas vêm?"

Em oito dias, a família Monteiro de Albuquerque perdeu duas irmãs por covid 19: Elíada e Raquel.

O difícil é explicar para D.Terezinha, que agora elas não moram mais em casa, só dentro do coração.

Elíada nasceu Belém (PA) e faleceu Belém (PA), aos 54 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido irmãs de Elíada, Ellen e Sulamita Monteiro de Albuquerque. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Cristiane do Socorro Oliveira Marialva, revisado por voluntário e moderado por Rayane Urani em 25 de maio de 2020.