Sobre o Inumeráveis

Ely da Paixão Ferreira de Sousa

1940 - 2020

Seu conhecimento da vida era tão grande quando sua força, sua alegria e o amor que distribuía em abundância.

Esta é uma homenagem de Lucas para sua avó, Ely:

Ely, também conhecida como Lica, Liquinha ou Lili, foi uma mulher forte, feliz; sempre espalhou o bem por onde passava e adorava reunir a família para tomar uma cervejinha nos fins de semana.

Mãe de sete filhos, sempre lutou pelo bem-estar de todos e esteve ao lado dos seus para fortalecê-los nos momentos difíceis. Nunca se deixou abater pela dor, não reclamava da vida e era muito grata por tudo o que construiu. E, mesmo aos 79 anos, continuava a sonhar.

Em seus dias de internação em decorrência da Covid-19, despertava a admiração da equipe de saúde por nunca demonstrar fraqueza e em nenhum momento se queixar de nada. Com orgulho, a equipe de enfermagem dizia que Ely era a guerreira deles. Mesmo doente, não deixou de se preocupar com seus filhos, fazendo questão de sempre dizer para todos ficarem bem enquanto ela estivesse internada.

Era uma avó admirável, tratava os netos como se fossem filhos, e tinha um amor inabalável e compreensível, sempre foi exemplo de força para netos e bisnetos.

Costumava dizer que poderia não ter estudado, mas que sua experiência de vida havia proporcionado a ela muitos conhecimentos que permanentemente repassava para as pessoas que amava. Conhecimentos que muito servem a sua família e, com certeza, seguirão sendo repassados de geração em geração.

Sua ausência deixa um vazio difícil de aceitar, ela segue presente nos corações de todos. Mas seu jeito alegre e de bem com a vida deixa uma lacuna na vida de todos, sua família perdeu o seu pilar, mas como ela desejou por toda a vida, a união manterá todos juntos para que sua memória seja preservada.

Por aqui, fica a saudade, a gratidão e a certeza de que nossa Lica viveu 79 anos muito bem-vividos, foi uma mulher feliz, plena com a vida e que tinha o amor de todos.

Lutamos com ela durante mais de três semanas, período em que ela lutou contra o novo coronavírus, mas ela foi chamada pelo Pai para estar ao seu lado agora e, certamente, está muito feliz espalhando amor e felicidade aos que agora estão ao seu redor.

Ely nasceu em Chaves (PA) e faleceu em Macapá (AP), aos 79 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pelo neto de Ely, Lucas Gabriel de Souza Vilhena. Este tributo foi apurado por Carla Cruz, editado por Míriam Ramalho, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 31 de julho de 2020.