Sobre o Inumeráveis

Josabeth Lima Assunção Aguiar

1937 - 2020

Adorava dançar e fazer bolos para adoçar a vida.

Betinha. Assim era chamada carinhosamente a mais velha de 11 irmãos e dona de uma alegria sem limite.

Adorava dançar e viajar. Seus nove filhos são unânimes em dizer que ela “era a primeira a inaugurar o salão numa festa”.

Betinha cuidava e amava sua família. Seu maior prazer era estar na companhia dos filhos. Quando, em alguma ocasião, a visitavam, a acolhida era cheia de amor e de comidas gostosas. “Sempre gostou de casa cheia”, contam os filhos.

“Tinha o hábito de colocar comida em nosso prato e em pratos de visitas, sempre falando ‘coma mais um pouquinho’, com a intenção de agradar a todos”, lembram eles.

Betinha adorava cozinhar e chegou a ganhar prêmios fazendo bolos. Sem sombra de dúvida era com açúcar e muito afeto que queria adoçar a vida. “Fazia um pavê como ninguém”, dizem os filhos.

Divertida e engraçada, Betinha fazia todo mundo rir quando trocava alguns nomes: ibuprofeno, o remédio, era “bubuprofeno”, Yakisoba, o restaurante, era “Kissopa”. Tudo ficava mais leve e divertido na sua presença.

Sua falta é grande, a tristeza enorme, mas o coração guarda memórias inesquecíveis de quem amou como ninguém a família.

“Mainha deixou filhos, netos, bisnetos, familiares e amigos muito saudosos, mas é certo que o Céu ganhou uma mulher guerreira, generosa, festeira e cheia de alegria", despedem-se despedem os filhos Josa, Ivonilton, Mércia, Dude, Cláudia, Cássia, Ninho, Pedro e Ana.

Josabeth nasceu em Livramento de Nossa Senhora (BA) e faleceu em Salvador (BA), aos 82 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pelos filhos de Josabeth, Josa, Ivonilton, Mércia, Dude, Cláudia, Cássia, Ninho, Pedro e Ana. Este tributo foi apurado por Lígia Franzin, editado por Míriam Ramalho, revisado por Lígia Franzin e moderado por Phydia de Athayde em 28 de julho de 2020.