Sobre o Inumeráveis

Juliana Cristina de Souza

1990 - 2020

O brilho dos seus olhos e o seu largo sorriso expressavam todo amor, fé e força que habitavam em seu coração.

Era uma mulher cheia de vida, sonhos e juventude. Um ser humano bondoso, amoroso e de muita fé. Tinha um brilho no olhar e um sorriso capazes de contagiar multidões.

“Ju era aquela pessoa que gostava de fazer tudo certinho.” Planejava seus passos e os entregava nas mãos do Criador. Foi assim com o seu casamento, com a compra do apartamento, com a gravidez. Tudo junto ao Eduardo, seu esposo.

“Ela demorou para engravidar, até imaginava que não poderia ser mãe. Então, quando menos esperava, descobriu que estava grávida. Montou o quartinho com todo amor do mundo para a chegada do pequeno e esperado Arthur. Ju não via a hora de chegar o dia do nascimento para pegar seu presente nos braços”, relembra a irmã, Jaqueline Cristina.

Antes que o seu pequeno pudesse nascer, teve a infelicidade de contrair a Covid. Mãe e filhos, juntos, já lutavam pela vida. Teve um parto de emergência sem complicações, mas o pós-parto agravou em horas o seu quadro. Foram 20 dias de luta diária pela própria vida.

“Ju só queria amar, cuidar, educar, beijar e viver junto do Arthur, e de toda a sua família. Mas esse vírus a levou embora pra junto de Deus. Junto com ela se foram os sonhos e a esperança”, conta a irmã.

Jaqueline segue desabafando sobre sua perda, e faz um pedido emocionante: “Faço um apelo a todos que leem esse texto. Se cuidem, obedeçam às regras, cuidem das pessoas que amam, se protejam, pois não é brincadeira. Agora só nos restam saudades e essa dor que não passa”.

Juliana foi realmente um exemplo de mulher. Mesmo em meio à dor não perdeu a fé, o otimismo e a bondade. Lutou incansavelmente pela vida, até que, enfim, descansou. Toda a sua força e coragem fazem parte de um legado que certamente orgulhará o seu Arthur.

Sua irmã, Jaqueline, conta um pouco sobre ter vivido ao lado da Ju, e finaliza com um pedido: “Juliana era uma pessoa maravilhosa. Agradeço a Deus por ter me dado o privilégio de ter vivido 30 anos ao lado da minha irmã. Só tenho orgulho de você. Obrigada por tudo que fez por mim. Sei que você está bem, pois está ao lado de Deus. Só te peço uma coisa, minha querida, olhe por todos nós que ficamos. Vou te amar para sempre”.

Juliana nasceu em Campinas (SP) e faleceu em Campinas (SP), aos 30 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado Irmã de Juliana, Jaqueline Cristina de Souza Nunes. Este tributo foi apurado por Andressa Vieira, editado por Thiago Santos, revisado por Otacílio Nunes e moderado por Rayane Urani em 19 de setembro de 2020.