Sobre o Inumeráveis

Lyra Alice Correia Nunes

1935 - 2020

Sinônimo de fé, vivia cercada por imagens de santos, família e amigos. Era feliz, amada e era amor.

Esta é uma carta de Mônica para sua mãe, Lyra:

Bença mãe, te amo, fica com Deus.

Hoje é o dia mais triste que já vivi, perdi minha mãe, perdermos nossa mãe.

Dona Lyra é exemplo de luz, de alegria, de humanidade, de teimosia... ela até convenceu nosso pai a mudar do interior para a cidade, para que tivéssemos uma vida melhor. Minha mãe é, principalmente e, verdadeiramente, sinônimo de fé. Tenho certeza de que sua fé inabalável a levou pros braços de Deus, hoje tem festa no Céu, tem missa no Céu, tem doce... e doce com açúcar mesmo, nada de comidinha muito sem graça; tem muita cantoria, músicas do padre Marcelo, do Sérgio Reis e muitas orações, tudo do jeitinho que ela gosta e com o som num volume bem alto, pois se é para louvar a Deus, que seja bem alto, para que todos possam ouvir.

Mães são nossa maior ligação, formam um laço inquebrável. Lembrar-me das nossas horas de conversa é o que me conforta. Mesmo estando longe, nosso elo manteve-se forte. Ter falado com ela, contado as novidades, tomado "bença mãe" e, sobretudo, ter estado com ela (fisicamente ou em pensamento) é o que me conforta nesse momento. Meus pensamentos foram só para ela; pedi que ela fosse em paz, que se entregasse aos braços de Deus, pois ela cumpriu seu dever nessa vida. Minha mãe amou, e amou muito. Minha mãe também foi e continuará sendo muito amada... amada pelo marido, pelos filhos, netos, sobrinhos, irmãos, cunhados, amigos, vizinhos, noras e genros, sim por todos eles e, nada de piada de sogra, seus genros a amavam de verdade, eram como filhos para ela.

Mamãe teve uma vida plena, sempre alegre e de bom humor, viveu momentos maravilhosos em família: foram batizados, casamentos, formaturas, aniversários, festas de Santo Amaro, missas e algumas despedidas... Recebeu e hospedou em sua casa a santinha da igreja, rezou muito com todos os seus santos e bonecas, ursinhos, seus padres preferidos, o “padre pernudo" (ela sabe de quem eu estou falando), o padre Marcelo e tantos outros. Mamãe viveu sempre rodeada de muito amor, carinho, paciência e alegria, foi mimada por todos. Ela mereceu tudo isso.

Mamãe foi e continuará sendo sempre amada e lembrada por todos nós, que tivemos o privilégio de tê-la em nossas vidas.

Bença mãe, te amo, fica com Deus.

Lyra nasceu em Campos dos Goytacazes ( RJ) e faleceu em Campos dos Goytacazes RJ, aos 84 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela filha de Lyra, Mônica Pereira Nunes de Oliveira. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Mateus Teixeira, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 12 de setembro de 2020.