Sobre o Inumeráveis

Manoel Amaro da Silva

1937 - 2020

Com seus olhinhos fechados, que pareciam adormecidos, estava atento a tudo ao seu redor. Um verdadeiro sábio!

Manoel Amaro, nordestino que muito cedo migrou para o sul-mato-grossense, foi pai, chefe de família dos irmãos e não perdeu a mão quando constituiu a sua família, 60, dos seus 82 anos foram ao lado da sempre companheira, juntos eram fortes, mas veio o vírus e ele se foi.

Agora, ficam apenas as lembranças do pai conselheiro, amoroso e exemplar, do avô brincalhão e do bisavô, que brincava como uma criança. Manoel Amaro era sempre alegre!

Saudades do fole da sanfona e do som que, através do dedilhar dos seus firmes dedos, cortava o silêncio.

Saudades daqueles olhinhos fechados, que pareciam adormecidos; mas ele estava atento a tudo ao seu redor. Um verdadeiro sábio: olhos fechados, boca calada e ouvidos atentos.

Gostava tanto de tocar seu acordeão e andar com a mobilete, era tão saudável... cuidava da minha mãezinha, que é enferma e, simplesmente se foi, deixando muitas saudades.

Manoel Amaro é lembrança boa!

Manoel nasceu em Pernambuco e faleceu em Ivinhema (MS), aos 82 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela filha de Manoel, Valdineia Maria da Silva Barbosa. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Valdineia Maria da Silva Barbosa, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 29 de julho de 2020.