Sobre o Inumeráveis

Manoel Trajano da Costa

1968 - 2020

“Eu te amo tanto, não se esqueça disso”, dizia ele a sua filha.

Manoel tinha um coração maior do que si próprio. Sua generosidade não cabia no peito e transbordava ao redor, ajudando ao próximo financeira e emocionalmente. Muitas vezes presenciou pessoas passando por necessidades e não pensava duas vezes antes de fazer as compras para aquela família, no supermercado em que era gerente. Sua vida era pautada pela honestidade e seu transbordante amor, principalmente pela sua família.

Filho mais velho de seis irmãos, começou a trabalhar aos 10 anos para ajudar em casa, interrompendo seus estudos. Mas sua teimosia não o fez desistir de ser uma pessoa instruída pela vida, conseguindo, posteriormente, finalizar o ensino fundamental e médio. Alcançou o cargo ápice de seu emprego, apesar de todas as dificuldades enfrentadas. Manoel já precisou trabalhar em dois empregos para conseguir a sua casa dos sonhos e batia no peito com orgulho para falar que foi ele quem construiu.

Sua felicidade era encontrada na simplicidade, no churrasco de domingo, no peixe que ele cozinhava, na casa cheia de gente para ele contar suas piadas e mostrar as coisas que ele conquistou com muita luta e esforço. “Ficava extremamente feliz quando a gente estava feliz”, recorda sua primogênita, ou melhor, sua “filhinha amada”.

Brincalhão e quase uma criança grande, Manoel gostava de ver desenhos, comer doces e bolos, além de ser um vascaíno fascinado. Sonhava com o dia em que seu neto teria idade para ensiná-lo a soltar pipa. Sempre estava disponível para ajudar, aconselhar e ensinar. Sempre estava disponível para distribuir calorosos abraços para sua família. Cada segundo de carinho importava para Manoel.

“Já tomou café da manhã, minha amada esposa?”, Manoel falava para Francisca, com quem foi casado por mais de 30 anos. O amor dos dois deu origem à duas filhas - Sabrina e Jéssica -, um neto, Pietro, e uma neta canina, Tessa, a xodó de Manoel. Sua compaixão, ternura e sabedoria estão marcadas nos corações de todos que tiveram o privilégio e prazer de conhecer Manoel. Sua história nos deixa lindas lições memoráveis de amor e afeto.

Uma pessoa encantadora, Manoel cativa até mesmo a quem apenas ouviu falar sobre.

Manoel nasceu na Paraíba e faleceu no Rio de Janeiro, aos 51 anos, vítima do novo coronavírus.

Jornalista desta história Samara Lopes, em entrevista feita com filha de Manoel Sabrina Trajano, em 3 de maio de 2020.