Sobre o Inumeráveis

Marcio da Costa Fonceca

1969 - 2020

Quem ouvia Marcinho da Rádio sentia a vibração do seu alto astral, reflexo de um trabalho que fazia com paixão.

Foi como radialista que Marcinho da Rádio se eternizou. A voz incomum no rádio, por ser aguda, viajava pelas ondas radiofônicas e chegava aos ouvintes de forma incomparável por meio de propagandas, noticiários, piadas, canções ou uma mensagem motivacional.

Projetou seu trabalho em muitas rádios ao longo da carreira, mas também mantinha de sua casa a própria emissora virtual, a Rede News de Rádio, que contava com a participação ao vivo dos amigos. Exercendo seu papel de jornalista, publicava em suas redes sociais seu jornal MC Notícias e tinha uma cadeira fixa na rádio Alvorada FM, onde apresentava o noticiário da região.

Quem já ouviu a locução inconfundível de Marcinho, não esquece o bordão: “Márcio Costa - você ouve, você gosta”. Figura marcante pelo carisma, alegria, extroversão e dinamismo, alcançava os estados de São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul - devido às propagandas de vários supermercados das regiões que ganhavam vida através de sua voz.

Em Fernandópolis e toda região será sempre lembrado como o apresentador do Paquera na Avenida.

Fora dos estúdios era um filho dedicado que abriu mão do sonho de voltar a morar em Mato Grosso para não deixar a mãe desamparada. O carinho que tinha por ela era visível todas as vezes que ligava e a chamava por “mamãe”. Sua única filha, Bruna, passou a ser a continuidade da luz que o pai emanava.

Seu instrumento principal, a voz, deixou de ser palavra falada para ser cantada. Em parceria com a prima Alessandra, materializaram a mesma paixão que dividiam pela música com a gravação de um CD de músicas sertanejas antigas. Umas das canções que vivia cantarolando tem os seguintes versos: “Abre essa porta / Deixa eu entrar / Quero te ver / Quero te amar”.

As mesmas rádios espalhadas nos três estados onde as propagandas e os programas que levavam sua voz chegavam, tocaram as músicas que Marcinho interpretou em seu CD durante o dia de sua partida. A despedida do ilustre radialista também ganhou espaço por mais de uma hora de programa especial na rádio Alvorada.

Dentre os projetos que deixou pelo caminho, confidenciou a irmã Márcia, que planejava lançar um avatar para representar a identidade digital do Marcinho da Rádio; além de um livreto informativo. Aspirava também em ver a duplicação da rodovia Percy Waldir Semeguini, ponto que tocava insistentemente em seus programas.

A companhia de Marcio durante as cinco décadas que esteve presente fez a diferença na vida de muitos. Será recordado por sua alma radiofônica, sendo o eterno Marcinho da Rádio.

Marcio nasceu em Fernandópolis (SP) e faleceu em Fernandópolis (SP), aos 51 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela prima de Marcio, Alessandra Bessa Mirachi. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Júllia Cássia, revisado por Francyne Nunes e moderado por Rayane Urani em 26 de abril de 2021.