Sobre o Inumeráveis

Maria Alves Matos

1930 - 2020

Uma mulher muito vaidosa, alegre e carinhosa, estava sempre disposta a ajudar.

Marinha ou Dondon, como era carinhosamente chamada pelos sobrinhos, adorava quando os filhos, netos e bisnetos estavam em sua casa, fazia de tudo para agradá-los.

Bem humorada e querida por todos, a animação era com ela mesma. Muito vaidosa, só saía de casa se estivesse cheirosa, com brincos, pulseiras, relógio... E não podia esquecer de passar seu batom.

Gostava também de tomar banho de riacho aos finais de semana. “Uma coisa engraçada foi quando estávamos na praia e, lá, ela disse que queria beber um "Campari". Porque ela queria lembrar de quando ela era jovem e saía para viajar com o “Neném” (ele se chamava Raimundo e foi o segundo marido dela, mas nessa época já havia falecido). Nesse dia, rimos muito das histórias que ela contou”, recorda a neta Ana Gardenia.

Ela tinha uma casa e realizou o seu sonho de reformá-la como queria.

Durante a pandemia, Marinha completou 90 anos, mas não pode comemorar como a família havia planejado.

Sua alegria agora é guardada e eternizada por aqueles com quem conviveu, deixando muitas saudades.

Maria nasceu em Ipu (CE) e faleceu em Teresina (PI), aos 90 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela neta de Maria, Ana Gardenia de Araújo Marques. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Mateus Teixeira, revisado por Renata Nascimento Montanari e moderado por Rayane Urani em 16 de abril de 2021.