Sobre o Inumeráveis

Mário Lúcio Ferreira

1962 - 2020

Exímio filho, pai e amigo. Ser humano indescritível, que marcou a vida de muitos. Sua bondade e amor ficaram.

Este é um tributo escrito por Lucianny para seu pai, Mário Lúcio:

Meu pai sempre ia ver a gente aos domingos cedinho, às vezes antes das 7 da manhã, ele chegava buzinando como se estivesse “desesperado”, ele acordava toda a vizinhança que estivesse dormindo ainda.

Ele deu a vida ao trabalho, tinha férias vencidas desde 2005 e não conseguia sair do fórum.

Cumprimentava todo mundo e brincava com quem passasse por ele, todos tinham um sorriso no rosto ao passar por meu pai.

Eu me lembro de ser pequenina e de ser acordada aos sábados e domingos pelo meu pai, ele acordava a gente passando a barba no pescoço, era tão bom, que saudade que eu tenho.

Lembro-me do quanto ele gostava de ficar sentado na cadeira de balanço com seu rádio escutando jogo do Flamengo e do Sampaio. Tinha prazer em ajudar todos ao seu redor.

Pai além do limite, avô impecável.

Onde o Lúcio estava, não tinha tristeza e nem tempo ruim; por mais difícil que a vida estivesse, o sorriso estava sempre ali.

Descrever sua bondade e generosidade foi fácil para cada pessoa que sentiu a sua partida, foram inúmeras ligações, orações e lágrimas derramadas após a sua ida.

Difícil mesmo é conviver com a saudade constante das palavras de incentivo, das mensagens diárias e das buzinadas aos domingos pela manhã.

Sentimos falta do seu afago, das suas palavras, das mensagens na madrugada, da preocupação constante e de todo o seu amor, que nos rodeava e fazia com que a gente se sentisse único e os mais especiais da terra.

Agradeço a Deus, pela oportunidade de ter sido sua filha, de ter visto toda a sua coragem, força e determinação dia após dia.

Paizinho, o senhor sempre será lembrado em minha casa e em meu coração. Fique ao lado de Deus, que aqui na terra a gente tá fazendo o que o senhor nos guiou e nos ensinou.

Olha por nós aí de cima.

Te amo, até o céu, Sr. Mário Lúcio Ferreira.

Mário nasceu em São João Batista (MA) e faleceu em São José de Ribamar (MA), aos 57 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela filha de Mário, Lucianny Lima Ferreira. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Mateus Teixeira, revisado por Sandra Maia e moderado por Rayane Urani em 8 de fevereiro de 2021.