Sobre o Inumeráveis

Marlene Almeida de Andrade

1937 - 2020

Carismática, seduzia a todos com sua doçura. Só não admitia que atrapalhassem suas orações, ou sua novela.

Dona Marlene e o seu Eth queriam deixar claro que iam estar sempre juntos e, por isso, o nome de todos os filhos começam com Ma e terminam com Eth: Marileth, Marlieth, Margareth, Marveth, Marleth e Maerth.

Dona Marlene perdeu seu Eth pelo caminho, mas não perdeu a mania de cativar qualquer um que a conhecesse em apenas dois segundos. Um recorde, sem dúvida. E com mais tempo de conhecimento, só melhorava, pois descobria-se uma senhora amável, acolhedora, risonha e doce, não importando o momento. Um dom.

Cumpria diariamente, e com fervor, seus dois rituais inadiáveis: assistir novelas e orar. Às vezes, perdia-se em sonhos sentada no sofá, mas, apesar dos filhos pedirem a ela pra ir deitar-se, jamais entregava os pontos: “não estou dormindo, não” - dizia. E quem havia de duvidar que não estivesse apenas de olhos cerrados concentrada em suas orações? Dona Marlene era mulher de opinião forte e se acreditava que não estava dormindo, o assunto estava encerrado

Mar e Eth voltaram a se encontrar lá em cima. Mas continuam juntos aqui embaixo também, não apenas no nome, mas também no coração de cada um dos filhos e netos.

Marlene nasceu Pernambuco e faleceu Recife (PE), aos 83 anos, vítima do novo coronavírus.

Jornalista desta história Fabio Victoria, em entrevista feita com neta Erica Andrade Lime, em 15 de maio de 2020.