Sobre o Inumeráveis

Mauro Sergio Cataldi de Almeida

1957 - 2020

Enfermeiro, vigilante sanitário, mágico e Papai Noel. O carisma de Maurinho era contagiante.

Costumava dizer: "Confesso que vivi", nome de um famoso livro de Pablo Neruda. Mas quem o conhecia e sabia “o quanto” ele viveu em seus 63 anos, podia apostar que era uma frase autoral.

Nos anos 80, hospedou um leão em sua casa, na Ilha do Governador.

Teve casa de festas, foi taxista, participou do Programa da Xuxa como mágico, foi líder dos mágicos do Rio de Janeiro por anos e ainda, representante dos enfermeiros, no hospital onde trabalhava.

Tinha vontade de fazer shows para crianças carentes pelo Brasil. Dizia que quando ficasse velho, iria para o Retiro dos Artistas, um avô que aos 63, se dizia com 38.

Um verdadeiro apaixonado pela arte e "por todas as namoradas que teve, e olha que a lista é imensa", contou rindo a filha Viviane.

Seu humor juvenil será para sempre lembrado. "Foi um homem incrível, todas as homenagens serão poucas para ele. Sua risada ecoará em nossas memórias", completa a filha.

Estava na linha de frente de combate à Covid-19 e contaminou-se em um plantão, no hospital em que trabalhava.

De sua filha, Viviane Cataldi

-
"O que importa de verdade é o que você pensa e sabe de si mesmo".

Um homem que se dedicou a cuidar de outros, enfermeiro, mágico e líder de movimentos pela valorização do enfermeiro.

De sua colega de trabalho, Alicia Oliveira.

Mauro nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e faleceu no Rio de Janeiro (RJ), aos 63 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pela filha de Mauro. Este tributo foi apurado por Millena Gama, editado por Ticiana Werneck, revisado por Rayane Urani e Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 13 de junho de 2020.