Sobre o Inumeráveis

Mauro Sérgio Guimarães Pereira

1969 - 2020

Foi filho, irmão, amigo e pai. A alegria de viver era o seu diferencial.

O mais velho dos oito filhos de Dona Dolores. Ainda na infância, devido à paralisia infantil, teve os movimentos da perna esquerda comprometidos. A irmã Izis Beatriz conta que isso não foi um problema para ele. Afinal, não era a deficiência que o distinguia: "Ele era especial por ser alegre e amigo".

Na juventude, mantinha os cabelos longos, por isso era chamado de Paquito pelos amigos de Santarém, cidade em que nasceu.

Mudou-se de lá para Manaus e passou a trabalhar como cobrador em uma empresa de ônibus. No trabalho, mesmo que às vezes fosse muito sério, não deixava de lado o jeito divertido, que sempre acabava por se destacar nele.

"Meu irmão teve várias namoradas, e dizia que só iria se casar quando tivesse condições financeiras para manter uma família. Porém, aos 39 anos, tudo mudou com a chegada do seu primogênito Miguel. Passados quatro anos, casou-se com Francine e, um tempo depois, também gerou a filha Mirella", conta Izis Beatriz, que acrescenta: "Ele foi um ótimo pai".

Amante do futebol, era "vascaíno roxo". Mas, como amava a família acima de tudo, ver o time do coração em campo não era com o que sonhava. "O seu sonho era retornar para Santarém quando amenizasse a pandemia", afirma a irmã, que prossegue: "Uma semana antes de adoecer, ele ligou para a nossa mãe e disse: "Dessa vez eu vou voltar!"

Mauro Sérgio não pôde realizar esse sonho. Contudo, deixa uma memória viva no coração de Izis Beatriz, que encerra sua homenagem dizendo: "Ele foi um irmão muito brincalhão e uma pessoa maravilhosa. Em 2018, como de costume, fiz uma visita surpresa a ele. Nessa, passamos uma tarde inteira, juntos em sua casa... As lembranças dele acenando com a mão, quando fui embora, e do nosso último abraço, ficarão marcadas".

Mauro nasceu em Santarém (PA) e faleceu em Manaus (AM), aos 51 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pela irmã de Mauro, Izis Beatriz Guimarães Pereira. Este tributo foi apurado por Gabriele Ramos Maciel, editado por Luciana Fonseca, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 21 de setembro de 2020.