INUMERÁVEIS

Memorial dedicado à história
de cada uma das vítimas do
coronavírus no Brasil.

Contagem (MG)

Eraldo José Fontes, 61 anos

Gostava de compor poemas e músicas. Adorava presentear e fez da sua vida uma entrega à família.

Fabrício Manoel Torres Silva, 39 anos

Um nerd antenado que adorava um churrasco.

José Geraldo Trevenzoli, 63 anos

De memória impecável, conversava com todos contando suas histórias e fazia rir com sua risada contagiante.

Jovelina Maria Campos, 86 anos

Encher a casa com os filhos, netos e bisnetos em torno da mesa farta era o seu ideal de felicidade.

Lincooln Augusto Amorim, 49 anos

Era um menino grande que acreditava que sua alegria o faria imune a todos os perigos, que viveria para sempre.

Maria da Conceição Vieira Ferreira, 80 anos

Sempre alegre e com um coração acolhedor, dona Branca tinha o divino dom de ser mãe.

Marilza Aparecida Fontes, 52 anos

Uma pessoa introvertida e um pouco carente. Sonhadora, amorosa com os sobrinhos: os filhos de coração.

Mércia Pacheco de Castro, 55 anos

Mércia gostava era de muito brilho, muitas cores, muito samba; seu coração era um eterno Carnaval.

Narci da Conceição Magela, 68 anos

Uma mulher de fé, para quem a família estava em primeiro lugar. Depois vinham as plantas e a música caipira.

Rafael Lopes Martins da Rocha, 61 anos

Com seu jeito amoroso e alegre, assobiava alto para acordar os netos e poder brincar com eles.

Raimunda Silvano Ramiro, 91 anos

Quem a visitava sempre levava delicioso quitutes para casa.

não há quem goste de ser número
gente merece existir em prosa