Sobre o Inumeráveis

Onédia Azevedo de Lima

1939 - 2020

Carinhosa com todos e mulher de muita fé - Dona Onédia era o “maior amor do mundo”.

A fé move montanhas e movia a vida de Onédia, que estava sempre com um terço na mão, rezando por todos os familiares, pedindo proteção e agradecendo a Deus e a seus santos do coração. Católica e muito religiosa, seu maior sonho era ver a neta Thamires casada na Igreja. Seu coração se enchia de alegria só de imaginar!

Assim como Nossa Senhora, também foi mãe. Aliás, mãe de 14 filhos, de um único casamento, com Renato de Lima. Ione, Ivaneide, Ana Socorro, Sérgio, Renato Jr, Odaléia, Sebastião, Marcus, Marlene, Sandra, Júlio, Tony e Marly formavam a família grande, que era seu xodó.

Deles, vieram os netos, seus muitos amores, motivo de grandes alegrias. Tornavam a casa cada vez mais cheia, do jeitinho que adorava.

Mãe e amiga de todos, a frase recorrente que saia de sua boca era famosa: "como você está? Tá tudo bem por aí?", perguntava ela, atenciosa e amorosa demais.

Dona de casa e moradora de Manaus, cenário de sua vivência, Onédia se despediu da vida com fé, deixando o seu amor, que era o maior do mundo, para caminhar em direção aos braços do Menino Jesus. Que a recebeu docemente.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela neta de Onédia, Thamires. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Weslley Carvalho, revisado por Didi Ribeiro e moderado por Rayane Urani.

-
Sabe aquele ditado que diz: “em coração de mãe, sempre cabe mais um”? Ele é perfeito para Dona Onédia. Em seu coração, cabiam os 14 filhos que teve com Seu Renato (Ione, Ivaneide, Ana, Socorro, Sérgio, Renato Jr., Odaléia, Sebastião, Marcus, Marlene, Sandra, Júlio, Tony e Marly), mas não somente eles.

Os filhos lhe deram netos e a família grande se tornou sua grande paixão. Amava imensa e individualmente todos os membros. Sempre que podia, pegava seu terço e dedilhava as contas com toda devoção que guardava dentro de si.

Mulher, mãe, avó... Uma dona de casa de hábitos simples e alma grande. Realizou muitos sonhos, mas não deu tempo de ver a neta Thamires se casar na igreja. Será que não? Uma coisa é certa, em suas orações, sua bênção já foi dada.

Onédia nasceu Parintins (AM) e faleceu Manaus (AM), aos 80 anos, vítima do novo coronavírus.

Jornalista desta história Danielle de Almeida Menezes, em entrevista feita com neta Thamiris, em 23 de maio de 2020.