Sobre o Inumeráveis

Paulo Cesar Neves Furtado

1953 - 2020

Sabia se divertir com as mulheres da família e virou referência, também, de companheiro: o que ri junto.

Esta é uma carta aberta da filha Bruna e da afilhada Joanna para Paulo Cesar Neves Furtado:

Conversando mais cedo com a Joanna, ela comentou: “Nós temos o nosso pai, mas o Linho é a minha referência de pai”. Essa frase fez tanto sentido para mim, que até vou complementá-la, pois você é também uma referência de "marido, avô, trabalhador". O que está sendo, de certa forma, um alento nesse momento, é reconhecer o seu legado.

Você tem noção do que você representa para nós, mulheres da família?

Graças a você, sabemos o que é ser um bom marido. Graças a você, conseguimos identificar o que não vale a pena para a gente. Posso te afirmar que você ensina todas nós que não devemos nos conformar com um parceiro mais ou menos. Posso afirmar que, graças a você, nos livramos de algumas furadas!

Você ensina, de uma forma tão sutil, gentil e humilde, que as mulheres podem se divertir sim, falando alto e gargalhando, enquanto o homem pode respeitar isso e até achar divertido. Mostrando, assim, que não deve haver repressão, olhar de julgamento.

Tio, você se divertia junto! Eu via nos seus olhos! Você nunca teve aquele comportamento da maioria dos homens, de ficar de mau humor enquanto “a mulherada” fazia farra. Sempre sentou perto da gente e se divertiu com nossas brincadeiras!

Tio, você me ensina que a família é a prioridade do ser humano. Você sempre amou e honrou sua família. Você nunca oscilou!

Linho, seu legado é poderoso! Saiba que continuaremos unidas por aqui e honraremos este legado! Ele já se cumpre e, assim será para sempre em nossa família! A Cecília, Stella e Milena, as mais novinhas, terão o seu exemplo para saberem o que é realmente ser um “pai de família”.

Meu tio, eu sempre te amei muito! O carinho que eu sinto por você é tão forte, que quero poder transformá-lo em força para as minhas primas e para a minha amada tia Leila.

Caramba... que simbólico que foi o fato de você descansar, justamente no Dia do Trabalhador. Um cara que esteve sempre disposto a correr atrás, a trabalhar, a buscar o pão de cada dia para sua família. Esse legado jamais será esquecido.

Obrigada por tanto ensinamento e por tantos momentos lindos em família!

Paulo nasceu no Rio de Janeiro (RJ) e faleceu no Rio de Janeiro (RJ), aos 66 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pela filha e pela afilhada de Paulo, Bruna Oliveira Furtado e Joanna. Este tributo foi apurado por Viviane França, editado por Marcia Horacio Barbosa, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 25 de junho de 2020.