Sobre o Inumeráveis

Paulo Sérgio Cursino Roriz

1947 - 2021

Todos os dias, ao sair do banho, secava os cabelos no ventilador e seguia para o consultório.

Doutor Paulo, como era chamado, viveu para a medicina e a família. Era um homem de hábitos e preferências marcantes. No consultório – onde tudo era amarelo, sua cor preferida –, nunca trocou a máquina de datilografia por um computador, e era nela que escrevia as receitas para os pacientes. Também não usava secador para os cabelos, preferindo secá-los no ventilador: era seu ritual depois do banho, antes de sair de casa para começar seus atendimentos. Muito cuidadoso consigo mesmo, tinha uma alimentação saudável e era vaidoso.

Estava sempre a postos para a família. Todos pediam opiniões médicas e ele socorria quando necessário. A sobrinha, Ismara, conta que se lembra do tio retirando cacos de vidro do seu pé e "corpos estranhos" do seu ouvido — uma bolinha de papel que ela mesmo colocou. Até hoje ela é capaz de "sentir" o sabor dos pirulitos que ganhava no consultório do tio quando era pequena. Ela também se lembra de outro fato marcante: “Ele gostava muito de vinho e me serviu uma taça, numa noite de Natal. Eu nunca havia experimentado, por isso me recordo tão bem”.

"Meus pais se conheceram por causa dele. Minha mãe trabalhava como secretária no consultório. Ele sempre foi presente, enchia os sobrinhos de presentes e me chamava de 'crânio' quando nos encontrávamos", relembra.

Paulo era casado e devotava grande cuidado e respeito à esposa, com quem teve três filhos: Mony, James e Alzira. Era exigente com os estudos dos filhos. Para as netas foi um avô amoroso, que as presenteava com sua alegre presença. Como fazia com os sobrinhos, amava presentear Bianka e Maria Cecília, com quem conviveu pouco tempo, mas com intensidade.

Era um homem muito inteligente e criativo. Era também muito brincalhão e gostava de reunir a família em sua casa. Sua passagem pela Terra foi única e nunca será esquecida.

Paulo nasceu em Juazeiro (BA) e faleceu em Salvador (BA), aos 73 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela sobrinha de Paulo, Ismara Soares Cursino Roriz. Este texto foi apurado e escrito por jornalista Talita Camargos, revisado por Maria Eugênia Laurito Summa e moderado por Rayane Urani em 8 de novembro de 2021.