Sobre o Inumeráveis

Porfirio Rabaça Valente

1927 - 2020

Para esse português alegre, sua família e sua "mulhere" eram as coisas mais importantes. E, pra tudo, dava-se um jeito.

Chegou ao Brasil no ano de 1950. Começou a vida trabalhando em uma padaria. Era apaixonado por Maria de Lourdes, que era sua amada desde a infância, pois estudaram juntos e eram vizinhos. E ela também veio para o Brasil para trabalhar na casa de uma tia que morava em Belém, no Pará.

Quando Porfirio ficou sabendo que sua amada estava no país, enviou-lhe uma carta pedindo novamente a amada em casamento, “na primeira vez, meu avô (pai de minha mãe) havia dito não, pois, além de outros impedimentos, Maria de Lourdes era ainda muito jovem. Mas desta vez, o sogro disse sim. Eles se casaram por procuração, pois ela estava em Belém e ele em São Paulo. Quando mamãe chegou a São Paulo, eles se casaram na igreja do Glicério, no dia 07/02/1954”, conta sua filha Lucinda.

Com esta união, construíram juntos a quitanda do Porfirio e da Lourdinha, conhecida como a "Quitanda do Português", no bairro paulistano de Campos Elíseos. “Foi um casamento de muito amor, respeito e trabalho, pois eles chegaram aqui para começar uma vida nova”, relata Lucinda.

Foram casados durante sessenta e sete lindos anos. “Para ele, o valor e a essência da vida era a família.”

Tiveram dois filhos: Antônio Porfirio e Lucinda. Criaram esses filhos com muito amor, carinho e respeito. Deram a melhor educação e conseguiram proporcionar os melhores estudos. Os dois adicionaram à família os quatro preciosos netos: Samantha e Jenifer (filhos da Lucinda) e, Bruna e Victor (filhos do Antônio Porfirio).

Todos foram criados na quitanda, eram uma família unida. Viveram e fizeram parte da Igreja Sagrado Coração de Jesus por sessenta e sete anos e, claro, todos da comunidade conheciam o casal.

“Infelizmente, no ano de 2019, dona Maria de Lourdes veio a falecer por causa de uma infecção urinária. Assim, a vida do Porfirio ficou difícil sem a sua companheira. Rezava um terço todo dia para sua amada. Então, em 2020, ele partiu, deixando muitas saudades para seus amigos, netos, genro e, principalmente, para seus dois filhos", conta Lucinda.

Tinha um amor enorme por sua amada Maria de Lourdes, a quem se referia como "minha mulhere", e por toda sua família; além de muito orgulho da vida que construiu. "O português partiu e deixará eternas saudades, mas foi ao encontro da sua amada.”

Porfirio nasceu em Mata de Lobos (Portugal) e faleceu em São Paulo (SP), aos 92 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pela filha de Porfirio, Lucinda Valente. Este tributo foi apurado por Lígia Franzin, editado por Marcela Matos e Lígia Franzin, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 26 de outubro de 2020.