INUMERÁVEIS

Memorial dedicado à história
de cada uma das vítimas do
coronavírus no Brasil.

Rio Grande do Norte

Ademar Moura de Jesus, 62 anos

Um caminhoneiro otimista, apaixonado pela família, pelos amigos e pelo bom almoço de domingo.

Ademar Tavares, 95 anos

Um homem trabalhador, honesto e que sempre procurava fazer o bem.

Ana Florência do Carmo, 84 anos

Mulher de fé e de flores.

Ana Lúcia Ribeiro Dantas, 70 anos

Estava realizando o sonho de ser avó... Seria uma vovó maravilhosa!

Antônio Moreira Neto, 64 anos

Estava sempre pronto para ajudar o próximo, mesmo que fosse com palavras e carinho.

Arlene do Nascimento Cardoso da Cunha, 59 anos

Para Arlene, Deus é uma mulher preta.

Cleonio Quirino da Cunha, 51 anos

Radiava alegria e espalhava sorrisos por onde passava.

Damião Reinaldo de Oliveira, 73 anos

As estradas da vida o levavam sempre de volta ao lar, mas conseguiu deixar um lindo legado e exemplos eternos.

Débora Cristina de Araújo Fernandes, 56 anos

Amor, carinho, doçura, competência e responsabilidade.

Dilma Tavares do Nascimento Rios, 60 anos

Mãe carinhosa e observadora, do tipo que reparava no corte do cabelo e nos centímetros que o filho cresceu.

Domingos Marcelino da Silva, 76 anos

"Ôh, véio bacana!", define a neta.

Edmar Castelo da Silva Júnior, 61 anos

Amigo de todas as horas. Calmo e tranquilo, ajudava todo mundo.

Elias Fernandes Jales Neto, 58 anos

Neto da Panelada, inesquecível pela suas comidas e pela simpatia.

Emery Jussier Costa, 74 anos

Certamente continuará sendo um admirado comunicador no céu.

Francisca Ventura do Nascimento, 39 anos

Gostava de estar rodeada de jovens, com quem conversava como se tivessem a mesma idade.

Francisco de Assis da Silva, 58 anos

Amante da tecnologia, toda semana tinha uma novidade para mostrar.

Francisco Lázaro Barbosa, 82 anos

Deixou exemplos de honestidade e amor para a família.

Genival de Andrade Frazão, 72 anos

Cabelos brancos, um baita sorriso e os olhos grudados no céu para ver os aviões que passavam.

Gilmar do Carmo Carvalho, 52 anos

Construtor de sonhos, seu ofício era transformar vidas através da educação.

Henrique de Vasconcelos Cabral, 47 anos

Ser de luz que iluminava a todos com seu lindo e enorme sorriso, sua marca registrada.

João de Lima, 74 anos

Um padeiro apaixonado e pilar de uma grande família. Nas horas livres, fazia palavras cruzadas e costurava.

José Augusto de Souza, 58 anos

O funcionário mais prestativo da livraria Independência.

Luiz Alvaci Gomes, 59 anos

Para ele, a simplicidade era o último degrau da sabedoria.

Luiz Alves de Brito Sobrinho, 48 anos

Emitia luz através dos sorrisos, junto com alegria e solidariedade.

Luiz Di Souza, 61 anos

Companheiro para rir, conversar e recitar poesia. Um professor universitário dedicado e sempre presente.

Luiz Gonzaga de Andrade, 71 anos

Homem alegre, começava o dia ouvindo música: canções de Elizeu Ventania e de seu xará, Luiz Gonzaga.

Manoel Lúcio da Cunha, 58 anos

Uma risada estrondosa e um coração imenso! Esse era o seu Lúcio!

Manoel Nazareno da Silva, 74 anos

Sua maior virtude era o amor pelo próximo. Sempre escolheu o perdão.

Manoel Rodrigues de Araújo, 91 anos

Homem íntegro, capaz das melhores coisas em prol de sua família.

Marcos Sobral, 56 anos

Era militar, mas a leveza era sua marca registrada.

Maria das Dores do Nascimento, 80 anos

De semblante risonho, essa nordestina era cheia de vontade de enfrentar o mundo.

Maria das Dores Lima da Câmara, 72 anos

A Mainha que aquecia o coração dos filhos com proteção, amor, cuscuz e café... Hum, que cheiro maravilhoso!

Maria das Graças Bezerra, 58 anos

Gracinha foi mãe zelosa e preocupada.

Maria de Lourdes do Nascimento, 77 anos

Mulher nordestina e guerreira incansável nas batalhas da vida.

Maria de Lourdes Oliveira Lopes, 72 anos

Dizia que ia ganhar na loteria para realizar os sonhos dos outros.

Maria Neite Soares de Lima, 89 anos

Duas palavras resumem bem essa matriarca: vida e generosidade.

Matheus Aciole da Costa, 23 anos

O embaixador da alegria em sua cidade e nas festas da família Aciole.

Milton Gonçalves Damasceno, 66 anos

Um homem de coração grande, que sempre tinha uma piada para contar.

Olenine Alves da Silva Junior, 55 anos

Um flamenguista que amava os gatos, era louco por Carnaval e fazia o melhor churrasco.

Paulo Matos de Castro, 64 anos

Deixou no atendimento às crianças e adultos a marca de um profissional competente, sério e responsável.

Rafael Michelson, 29 anos

Foi um rapaz feito de luz, que viveu intensamente, viveu por inteiro.

Raimundo Fernandes Campos, 89 anos

Amoroso e nostálgico, o Seu Campos recebia todos com um “Eu estava com uma saudade 'Monstra' de você!”

Roberto César Souto Cavalcante, 32 anos

O dia mais feliz da sua vida foi o dia em que se formou, queria que tudo se repetisse de novo.

Samir Assi João, 61 anos

Da medicina, fez arma e armadura. Da vida, sorveu a arte e a justiça. Só rendeu-se a uma tirania: a do amor!

Sérgio Ricardo de Almeida Alves, 44 anos

"Aqui não tem tristeza", decretava a pessoa mais animada da festa. A festa era a vida; ele era a lei vitalícia.

Terezinha Alves Moura de Vasconcelos, 82 anos

Colecionava terços, que rezava diariamente, e bordava em ponto-cruz os nomes daqueles que amava.

Valda Marinho da Silva, 84 anos

Nordestina, que entre cheias e secas, se fez forte e guerreira.

Valdelice de Moura Ferreira, 59 anos

Mulher generosa e de coração singelo, querida por tantos e mãe por vocação.

não há quem goste de ser número
gente merece existir em prosa