Sobre o Inumeráveis

Rodrigo Reis de Oliveira

1982 - 2020

Homenageava os que amava com textos enormes e repletos de carinho.

Rodrigo foi esposo da Alexandra, a quem pedia em casamento todos os dias, e pai amoroso da Ana Luz. Duvidava, neste mundo, existir filha mais linda do que a dele.

Extremamente dedicado à família e aos inúmeros amigos, Batata, como era conhecido, adorava reuni-los para comemorar o seu aniversário, que sempre se transformava em uma algazarra no portão. Rubro-negro apaixonado, assistia a todos os jogos do Flamengo com uma boa cerveja artesanal a tiracolo.

Conhecia todo mundo! Mesmo nos lugares mais distantes, Rodrigo constantemente reencontrava algum conhecido: tinha sempre alguém que chegava para lhe dar um abraço ou um aperto de mãos daqueles que estalam. Estava sempre com um sorriso no rosto, sua marca registrada.

“Rodrigo é luz, bom filho, bom marido, pai maravilhoso, o melhor irmão do mundo, não tinha uma pessoa que não gostasse dele”, conta Alexandra, esposa e amor da vida dele.

-

Pai babão, filho amoroso, marido apaixonado, irmão dedicado, amigo especial.

Alguém que adorava reunir pessoas queridas. Alguns escrevem, outros pintam em aquarela. Há aqueles que tocam instrumentos e cantam. Mas o verdadeiro hobby de Rodrigo era festejar. Se não tivesse motivo para as festas, ele inventava.

Tinha sorriso frouxo e largo. Possuía o dom natural de fazer o outro rir - e, para isso, enchia os celulares de seus entes queridos com fotos dele modificadas por filtros engraçados.

Em ocasiões especiais como aniversários, dia das mães e das mulheres, homenageava os que amava com textos enormes e repletos de carinho. Sua irmã decidiu fazer o mesmo por ele, compartilhando quem Rodrigo foi e é, nesse memorial.

Rodrigo não só "foi". Rodrigo "é", afinal, seus textos e fotos ainda são partes dele, que jamais irão embora, assim como sua filha, de 5 anos, que diz "papai virou nossa estrelinha."

Rodrigo nasceu no Rio de Janeiro e faleceu no Rio de Janeiro, aos 37 anos, vítima do novo coronavírus.

História revisada por Vitória Freire, a partir do testemunho enviado por familiares , em 11 de maio de 2020.