Sobre o Inumeráveis

Thiago Fernandes da Cruz

1982 - 2021

Para ficar com a esposa mudou até de cidade.

Thiago era um representante comercial que amava o que fazia. Aprendeu esse ofício como uma tradição da família, uma vez que seu pai, sua mãe, sua irmã mais velha e cunhado, além do seu tio mais próximo, todos trabalharam com a mesma profissão. Ele, que amava conhecer pessoas e lugares, dizia que a estrada era o seu pouso seguro.

Ele veio de uma Infância simples, mas muito feliz em meio a uma família grande e com muitos primos que cresceram juntos, como irmãos. Ele amou muito e de forma especial, a avó Arlete, com quem dividiu a casa quando menino.

Tinha uma ligação muito especial com a mãe, Andréa, os dois pareciam unha e carne, de tão inseparáveis! Nutria grande amor pelo pai Moacir, com quem aprendeu muito, inclusive sobre o ofício de representante comercial. Thiago era muito apegado à família, dedicava especial cuidado às irmãs Amanda e Adriana, uma mais velha e outra mais nova que ele.

No ano de 2017 Thiago e Tônia se conheceram. Ela foi para Belo Horizonte passear e ficou na casa de uma amiga que namorava um primo do Thiago. Certa noite, em uma saída do casal, os dois foram também. Ele era bem falante, amava uma boa prosa e, nas palavras dela, se viu encantada desde esse dia: "Maravilhoso… Cavalheiro… Abriu a porta do carro pra eu entrar… já me apaixonei!! Ele era enorme! 1 metro e 91 ― como ele mesmo fazia questão desse um centímetro ― e eu com meu 1,55.".

Os dois namoraram à distância durante um ano e ele, então, se mudou para Vitória para ficarem juntos, em março de 2019. Conta Tônia: "O Thi era pra mim, a cura enviada por Deus, depois de um relacionamento abusivo, que me fez desacreditar no amor e nas pessoas. Ele me ensinou o que era ser amada de verdade, na minha essência, do jeitinho que sou. Me fez saber o que era o amor. Mineiro da gema, veio pra terras capixabas para dividir a vida comigo. Superou muitas dificuldades e adaptações...e aqui, ele nos deixou...pertinho do mar, onde ele amava estar."

E ela carrega consigo muitas boas lembranças de sua vida com Thiago: “Foi meu companheiro de vida, de planos, de futuro. O nosso dia a dia era incrível. Ele me protegia de todas as formas, desde me colocar pra andar do lado de dentro da calçada numa simples caminhada pelo bairro, até não me deixar pegar a estrada sozinha pra ir trabalhar no interior. Ele me respeitava, me amava e me aceitava do jeito que sou, independentemente de como eu estava - bonita ou feia, gorda ou magra, brava ou feliz. Ele me amava. Ele amou, cuidou e ensinou o meu Fred (cãozinho) que também o adotou. Assim vivíamos nossos dias de muito amor e paz na nossa casa".

Ele amava a vida, a família, a natureza e os animais. Não perdia uma oportunidade de estar junto com os de casa ou amigos; como se ele não se bastasse somente pra si, precisava transbordar na vida das pessoas que amava.

Um momento de lazer que o casal desfrutava com grande prazer, era a prática de canoa havaiana. "Foi o que mudou a relação dele com o mar. Quando começamos a remar, ver tartarugas, mergulhar em alto mar nas paradas, ele aprendeu a amar o mar de verdade!", diz Tônia.

Thiago sempre será lembrado por seu coração gigante e seu jeito protetor e amoroso que conciliava sem conflitos o amor pela esposa, as ligações quase que diárias para a mãe e as irmãs, a boa prosa com um mineiro que vivia na sua rua e até a disciplina e o cuidado para com o cão Fredinho, que ainda o procura pela casa.

Thiago nasceu em Belo Horizonte (BH) e faleceu em Vitória (ES), aos 38 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado Esposa de Thiago, Tônia Bastos Costa. Este tributo foi apurado por Ana Helena Alves Franco, editado por Vera Dias, revisado por Bettina Florenzano e moderado por Rayane Urani em 10 de janeiro de 2022.