Sobre o Inumeráveis

Vera Batista da Silva Fernandes

1961 - 2020

Era a melhor cozinheira da família! Tanto que se tornou merendeira com mãos de fada.

"Extremamente crítica para culinária, colocava defeito na comida todas as vezes que comíamos fora de casa. Era hilário”, são com estas palavras que Leonardo Corral, sobrinho e quase filho relembra sua tia Vera.

A acidez nos comentários não era só quando alguém da família comia fora de casa. Ela criticava todos, absolutamente todos os restaurantes, que não tinham a capacidade de satisfazer seu paladar aguçado. Seja porque a comida estava doce ou salgada demais, como também crocante ou macia em excesso, ou até mesmo sem gosto. Acredite, até dos pasteis com muito recheio ela também reclamava. “E quando os vendedores ou feirantes golpistas mentiam dizendo que seus abacaxis eram doces, ela ia até a barraca pra questionar, não pelo dinheiro…”, recorda Leonardo.

Além da culinária, Vera também tinha uma outra paixão: gostava muito de assistir aos filmes da saga Harry Potter. Era muito viciada, tal qual uma adolescente, no bruxinho de Hogwarts. Adorava ficar em casa, vendo televisão e também aos filmes. “Quando passava De Repente 30, Crepúsculo e, óbvio, Harry Potter, ela sempre assistia. E todos à sua volta eram obrigados a ouvir porque ela tinha perda auditiva, então o volume da televisão era sempre muito elevado”, conta Leonardo.

Certa vez, foi a um shopping da zona leste de São Paulo para ver uma exposição do seu filme preferido. Andou um bom tempo de carro junto com seu sobrinho Leonardo para chegar até lá. Ela ficou muito brava, pois a exposição era feita de papelão e plástico. O sobrinho se divertiu ao ver como a tia ficou decepcionada e triste ao sair do local.

Vera emanava amor materno e fazia de tudo por sua filha, Kelly. Sempre muito atenciosa e à disposição pra qualquer tipo de problema. Fazia todas comidinhas que a filha pedia sempre, independentemente de qualquer coisa.

Ela tinha muito pavor de não conseguir chegar aos sessenta anos, pois seu pai também não conseguiu comemorar a data e dizia que a família não tinha o histórico de ter vida longa.

“Eu nunca mais vou comer aquela comida, nem ouvir seus berros, e nunca mais tive coragem de assistir Harry Potter, porque falta a personagem principal: ela do lado. Eterna e querida. Tia, você não foi, você é, e vai ser, para sempre. Quando for minha hora espero você na 9 ¾”, assim despede-se o sobrinho Leonardo, em referência a plataforma de trem de onde parte o expresso para Hogwarts, com o trecho do texto que escreveu para sua tia no dia em que ela completaria 60 anos.

Vera nasceu em Santo André (SP) e faleceu em São Bernardo do Campo (SP), aos 59 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pelo sobrinho de Vera, Leonardo Silva Corral. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Mateus Teixeira, revisado por Ana Beatriz Fonseca e moderado por Rayane Urani em 18 de fevereiro de 2021.