Sobre o Inumeráveis

Waldemir Cavalcante Saraiva

1957 - 2020

Viveu para iluminar a vida do próximo e pregar a palavra de Deus.

Waldemir foi um mensageiro de Deus.

Vivia a ler a Bíblia e a espalhar para o mundo ao seu redor os ensinamentos que ali encontrava. Onde quer que estivesse, Waldemir cumpria a missão que lhe foi concedida. Até mesmo no leito do hospital, os enfermeiros disseram que ele atravessou os últimos momentos evangelizando.

Trabalhava no Tribunal da Justiça do Amazonas, mas seu verdadeiro ofício era pregar a palavra de Deus em sua oralidade ou por meio de seus escritos.

Adorava sortear palavras de reflexão, como em sua última postagem numa rede social: "Devemos permanecer firmes na fé; mostrando que, através de muitas tribulações, 'Nos importa entrar no Reino de Deus'....Atos 14:22....
Pense nisso...", escreveu ele.

E, para além disso, Waldemir foi um homem íntegro e bondoso. "Sempre gostava de ouvir e oferecer ajuda para realizar sonhos. Ele foi a primeira pessoa a me levar ao cinema. Eu era criança e fomos assistir a 'Um Robô em Curto Circuito'. Nunca me esqueci desse momento, porque até hoje o cinema é minha paixão", recorda sua sobrinha Adriana.

Apenas dois dias após seu aniversário, Deus preferiu que Waldemir continuasse sua missão lá no Céu.

"Meu pai foi um guerreiro até nos últimos momentos de vida. Todos nós tivemos contato com ele, mesmo sabendo que ele poderia estar com Covid. Nessas horas a gente não pensa no medo, só em cuidar da pessoa que amamos. Minha família e eu apresentamos sintomas leves, que foram tratados em casa mesmo. Ele lutou muito até o final. Enfim, Deus sabe todas as coisas, e precisou desse servo querido”, conta a filha Andreza.

Deixa suas duas filhas: Andreia e Andreza; a mãe das meninas, Angela; sua esposa Alcilene e uma multidão, que já sente falta das suas palavras.

Waldemir nasceu em Manaus (AM) e faleceu em Manaus (AM), aos 63 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela sobrinha de Waldemir, Adriana Saraiva da Silva. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Júlia Palhardi, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 28 de junho de 2020.