Sobre o Inumeráveis

William Cohene Neder Júnior

1995 - 2020

Tinha nome de príncipe – e era um.

Doce, carinhoso e amoroso. São três, os principais adjetivos para descrever William, e que, certamente, ainda são poucos. Talvez todos os adjetivos positivos não sejam suficientes para descrever a pessoa que foi. Era querido por todos, assim como também fazia questão de ser carinhoso com quem fosse próximo a ele.

Como qualquer pessoa, que cresceu no interior, William sonhava em ser famoso. A carreira de modelo brilhava os olhos do paulista, que aprendeu a ser mato-grossense. E ele levava jeito. A beleza, em aliança com sua vaidade, ajudavam e muito.

Exímio jogador de Mobile Legends, jogo eletrônico multiplayer para celular, era conhecido como “Lord Prince”, no mundo virtual. Mas não só por lá. O nome, no mundo dos games, também traduzia quem era no mundo real.

Filho único, recebeu da mãe e da avó todo amor do mundo. Ambas eram loucas por William, assim como seu namorado Weder, com quem aprendeu e ensinou que o amor ensina e transforma.

De jeito calmo, era muito apegado à família e preferia ficar em casa assistindo séries a sair para festas, principalmente se fosse para ficar com o Thor, o cachorrinho que tanto amava. Fã de música pop, passou as últimas semanas ouvindo em loop o mais recente álbum de Lady Gaga, uma de suas musas no mundo da música.

Há quem possa pensar que, com sua partida, você possa estar longe. Mas longe é um lugar que não existe quando se quer ficar bem junto. Will nunca estará longe — pelo contrário, estará dentro de cada um daqueles que, um dia, tiveram a sorte de terem convivido com alguém de coração tão doce e puro.

William nasceu em Casa Branca (SP) e faleceu em Cuiabá (MT), aos 24 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pelo namorado de William, Weder Campos. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Wesley Bião, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 11 de julho de 2020.