Sobre o Inumeráveis

Zaqueu Lopes Rodrigues

1974 - 2020

Gostava de ver o sol nascer e, sobrando um tempo, lá estava ele tocando boiada com o seu berrante.

Zaqueu era um homem simples, de família humilde e alegre. Forte e corajoso, vivia no campo e foi casado por dezoito anos com dona Eliane, mulher muito guerreira e batalhadora. Quem apresenta os dois é Vanessa, a filha mais velha do casal, irmã de Vitória. As duas eram "o colírio dos olhos" e o maior tesouro de Zaqueu.

Honesto, trabalhador e amigo de todos, quando ele se aproximava, diziam: "Olha lá, o homem mais corajoso e honesto que eu conheço chegou!"

Zaqueu passou por muitas dificuldades na vida, mas nunca perdeu o sorriso no rosto, principalmente na frente das filhas. Vanessa se lembra, com carinho, de um dia, já crescida, chegar em casa e ser surpreendida pelo pai com um presente inesperado. "Filha, adivinha o que o pai trouxe?", "Bolo?", "Não... é um presente que queria ter lhe dado quando você tinha 6 anos e não tive condições", ele disse. "Quando eu vi, era uma panelinha de pressão feita de latinha de cerveja. Essas coisas simples, ficarão marcadas para sempre em minha memória", conta ela.

Os ensinamentos desse pai também ficam, seja pelo exemplo — um dia ele conheceu um homem que estava muito doente e moveu "céu e terra" para ajudá-lo — seja pela palavra, pois sempre dizia: "O que você tem de mais valioso na vida é seu nome e sua família, proteja e preserve isso!"

Apelidado "Pé de Gancho", ele "não tinha sonhos ambiciosos, como a maioria, só queria uma terra para chamar de sua e nela envelhecer. Também queria ver as duas filhas formadas, mas infelizmente isso não aconteceu", lamenta a primogênita.

Sua relação era de amor pelo trabalho. Vanessa diz que ele amava o que fazia: "Tinha orgulho de ser vaqueiro, de pegar boi errante no laço. Ele valorizava as coisas simples da roça: cuidava das plantações de abóbora e queria estar em sintonia com os bichos. Adorava cavalo, vaquejada e gado. Sobrando um tempo, lá estava ele tocando boiada com o seu berrante. Difícil era perder uma vaquejada!"

Vanessa encerra a sua homenagem: "Ele foi embora desse mundo rápido, mas com a bênção de partir em comunhão com Deus. Hoje, resta a saudade no coração daqueles quem sempre lhe amarram".

Zaqueu nasceu em João Lisboa (MA) e faleceu em Açailândia (MA), aos 48 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pela filha de Zaqueu, Vanessa Rodrigues. Este tributo foi apurado por Lígia Franzin, editado por Jesiel Eliezer Zerbo , revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 11 de agosto de 2020.