Sobre o Inumeráveis

Ailce Costa Belfort Silva

1969 - 2020

Foi mãe, esposa, filha, irmã e tia. Acima de tudo, Ailce foi sorriso.

Ailce, dona um sorriso constante, humor sempre alegre. Dona de tantas brincadeiras, sorria e fazia sorrir com muita facilidade. Não deixou se abalar, mesmo diante de um diagnóstico de Miastenia Gravis.

Ailce foi mãe, esposa, filha, irmã, tia, era gente amada e amável. A Igreja Adventista, em especial o Clube de Aventureiros, perde alguém muito especial. Mas, a lembrança dos sorrisos sinceros e resplandecentes de Ailce será eterna.

Descanse em paz, nós te amamos.

-

Uma pessoa muito alegre e divertida. Sua imagem era sempre com um belo sorriso.

Ailce era o nome da pessoa mais alegre da nossa família. Quando ela chegava nos encontros de família, já sabíamos que iria começar o momento de muitos risos.

Em 2016, ela descobriu uma doença degenerativa, mas mesmo assim continuava com toda alegria como de costume, sempre animada e com uma palavra de ânimo para quem estivesse precisando.

Trabalhava com crianças, na igreja em que fazia parte, e por várias vezes precisou ficar internada, ainda assim, lá do hospital resolvia tudo que tinha para resolver sobre as programações que as crianças teriam que participar. Fazia várias ligações para um e para outro pedindo ajuda para o que fosse necessário.

Muitas crianças não tinham o que era necessário para participar de alguns programas, mas ela pedia ajuda e, no final, tudo dava certo.

Essa sua garra de querer fazer algo em prol dos outros e sua alegria se completavam, e assim ela sobrevivia entre o que gostava de fazer e suas várias internações.

A saudade é muito grande, pois sabemos que quando tudo isso passar não a teremos mais ao nosso lado, com sua alegria contagiante.

Ailce deixou o esposo Paulo, os filhos Lucas e Paulo Júnior, cunhadas, mãe, sogra, irmãs e sobrinhos.

Ailce nasceu em São Luís (MA) e faleceu em São José de Ribamar (MA), aos 50 anos, vítima do novo coronavírus.

História revisada por Daniela Buono, a partir do testemunho enviado por sobrinho Leandro Wallysson Belfort Araujo e pela cunhada Leila Maria Silva Rocha , em 11 de maio de 2020.