Sobre o Inumeráveis

Idalice Cordeiro dos Santos

1927 - 2020

Rezadeira e amorosa, essa avó fez questão de dar o primeiro banho em cada um dos seus dezesseis netos.

A herança mais rica que Dona Nicinha, como era carinhosamente chamada, deixou foi o apreço pela oração. Ela participava do Apostolado da Oração e rezava pelo mundo todo. É como se o mundo coubesse em seu coração — e cabia.

Para a família, além da fé, deixou também o exemplo de leveza para encarar a vida e um modelo de cuidado e carinho com os pequenos detalhes. "Ela fazia questão de participar das mais diversas formas de cada etapa vivida; como exemplo, sempre foi a responsável pelo primeiro banho de cada um dos netos", contam Dante e Dara, dois dos dezesseis netos que receberam esse primeiro banho das mãos de Dona Nicinha.

Outra lembrança da avó está ao redor da mesa: "Domingo já tinha cara de almoço na casa de vó, família reunida, casa cheia e muito barulho, tudo que ela e vovô amavam", dizem os dois. Dona Nicinha e seu companheiro de vida Zé de Juca tinham um amor que "as palavras não conseguem alcançar".

Aos 93 anos, ela precisou partir para, segundo os netos, "arrumar tudo lá em cima e aguardar seu amado na porta", repetindo, assim, a cena habitual aqui da terra. "Sabíamos que eles não estavam destinados à separação causada pela morte. Ele foi ao encontro dela dois dias depois para viver a eternidade do amor", contam.

Dona Nicinha deixa oito filhos, dezesseis netos e quatro bisnetos gratos pela sua presença em suas vidas. Deixa também um legado de amor, alegria e fé.

Para ler a homenagem ao marido de Idalice, procure neste Memorial por José Cordeiro de Farias.

Idalice nasceu em São Bento do Una (PE) e faleceu em São Bento do Una (PE), aos 93 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pelos netos de Idalice, Dante e Dara Cordeiro dos Santos. Este tributo foi apurado por Mariana Durães, editado por Denise Stefanoni , revisado por Paola Mariz e moderado por Rayane Urani em 5 de julho de 2020.