Sobre o Inumeráveis

Silene de Lima Ferreira Silva

1964 - 2020

Uma mulher acolhedora e guerreira que ficava feliz em ajudar o próximo e em fazer novos amigos.

Silene teve três filhos, dois netos e o marido que a amava muito.

"Mainha era uma mulher muito especial, corajosa e destemida. Adorava cozinhar e viajar para o sítio da tia Socorro, aquele lugar era especial para ela", conta o filho Mahatma Gandhi.

Especial para ela era também o pôr do sol. Ela amava se produzir para tirar fotos com a luminosidade natural e aproveitar-se dos efeitos que esse momento do dia proporcionava ao iluminar o seu rosto.

Vivia cercada de amigos e os recebia de forma muito acolhedora. Sempre disponível para ajudar o próximo.

Foi guerreira até o momento de sua partida e sempre deu força aos familiares e amigos, "principalmente a mim", conta Mahatma, que complementa: "Ela nunca será apenas um número nas estatísticas. Minha mãe sempre será a pessoa mais importante e que amarei eternamente! Ela esteve ao meu lado como minha maior companheira de vida, nossa relação ia além... era como uma amizade, daquelas que permitem a troca de qualquer confidência. Sinto como se o cordão umbilical nunca tivesse deixado de nos unir. Sei que, onde quer que ela esteja, tudo estará iluminado com seu espírito alegre, gentil e gracioso – como ela sempre foi. Te amarei pra sempre, mãe. Te vejo na eternidade pra gente se abraçar bem forte", finaliza o filho.

-

Uma luz pra todos os familiares, era cativante, gentil, uma mãe e uma mulher incrível. Constantemente rodeada de amigos, sempre recebia muitas visitas, ela amava receber visitas, prosear, servir as pessoas... uma alma caridosa e gentil que nos deu a honra de tê-la por seus 56 aninhos de vida. Amava se produzir pra tirar fotos, principalmente quando o pôr do sol estava lindo, adorava ver o sol se pondo assim como amava o sítio de sua tia Socorro. Ah... aquele lugar era especial pra ela, assim como sua tia que ela considerava como sua mãe. Eram muito próximas e se falavam todos os dias, o sítio perdeu o brilho sem a presença de minha mãe, nossa família é cheia de artistas e ela não poderia deixar essa veia artística pra trás, era uma poetisa de mão-cheia e tinha seu diário onde escrevia seus pensamentos e poesias. Sua preferida e de própria autoria era esta:

"Quero o sonho
Quero a fantasia
Quero o amor
E a poesia
Quero viver todo
Momento do mundo
Sem perder nem
Um segundo"

Eternas saudades.

Silene nasceu em Patos (PB) e faleceu em Patos (PB), aos 56 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pelo filho de Silene, Mahatma Gandhy de Lima Ferreira Silva. Este tributo foi apurado por Hélida Matta, editado por Lígia Franzin, revisado por Mateus Teixeira e moderado por Rayane Urani em 11 de novembro de 2020.