Sobre o Inumeráveis

Wirimi Tsamia Tsamia

1956 - 2020

Líder superior dos guerreiros do povo indígena Kokama.

Seu nome em português era Guilherme Padilha Samias, mas era conhecido como Wirimi pelo seu povo Kokama. Admirado por suas artesanias, fazia um universo em um pedaço de madeira. Sempre levava as crianças para o mato e passava seus saberes de cuidado com a terra. As ensinava a plantar, deixar a terra fértil e cuidar das plantas para darem frutos. Era um bom conhecedor das águas. Certa vez, estava no rio pescando e seu filho caiu da canoa. Ele não viu, mas um amigo Tikuna o avisou e mesmo sem enxergar por conta das águas turvas, Wirimi mergulhou na escuridão, achou seu filho e o trouxe de volta à canoa.

Carinhosamente apelidado de Buluka, era um homem cativante, amoroso, amigo, mas quando precisava evocava sua alma e seu corpo para ensinar os guerreiros Kokama. Era líder dos guerreiros da Federação Indígena Kokama. Com seu corpo forte e preparado para proteger seu povo, os ensinava técnicas para proteger seu território e ensinava também como construir as tradicionais ocas Kokamas.
Foi o primeiro professor Kokama do Estado do Amazonas, em Sapotal.

Agora, ele vive em cada Kokama, em cada criança, em cada mulher, cada homem, cada anciã, cada ancião do seu povo e em cada árvore do Alto Solimões.

Wirimi nasceu Aldeia Sapotal, Tabatinga - AM e faleceu Tabatinga - AM, aos 64 anos, vítima do novo coronavírus.


Sobre o povo Kokama
O povo Kokama-kokamira habita a Amazônia há mais de 2 mil anos. Hoje estão espalhados pela na tríplice fronteira ocupando, no Brasil, a região do alto rio Solimões, com população de cerca de 10.000 pessoas. Além do português, falam a língua originária, kokama, que vem sendo ensinada também como forma de preservação e resistência de sua cultura.

História na língua original Kokama
WIRIMI TSAMIA TSAMIA, 64 (Tsokta chunka iruaka wata).
Apu Kana Ayukaka wanakukana tapɨya Kukamɨ-Kukamiria Pray+iuka
Ra chirataui WIRIMI TSAMIA TSAMIA ene tapɨya Kukamɨ-kukamiria minu, tsuri uramariui ene artetsaniashkakana, yauki wepe uniwertsukuara wepe ɨwɨra yatsɨkape. Yuriti erutsumira ɨkɨratsenkana ɨwɨratikuara riai yumitamira ra ikuakana erananpika tuyukapupe. Ria Ikuataui tsikuayara, icharitsen tuyuka chitan kupe riai mainani mɨtɨma metɨmakana ɨwɨriakana yumi ɨwɨriakana. Tsuri wepe eran ikuan unikana. Wepe uyari, yuti ya wepe ɨpatsuka tiniari riai ra taɨra upuri ɨaramuki ɨpatsu. Ra tɨma umi, raepe wepe irua tikuna ra kumitsa riai inu riapukatuka ikiaka tɨma umi rikuara unikana ɨpɨtunikana, WIRIMI yapɨmata ya ɨpɨtunipan, puraraka ra taɨra riai erura iriukua ra ɨara.ɨtsɨmatachatsu chirara BURUKA, tsuri wepe niapitsa eran iruachatsu, tsachitachatsu, irua, urian maniapuka tsetaka tsapukika ra tsawa riai ra tsukuara yantsui yumita ayukaka wanakukana ra ritama tapɨya. Tsuri apu Kana ayukaka wanakukana Weteratsun Tapɨya Kukamɨ-Kukamiria minu. Mania ra tsukuara wɨka riai tatataka yuwanaka ra ritama tapɨya, yumita yumɨratsupe yantsui yuwanaka ra tupapeka riai yumitapuka ria mania yauki ɨmɨntsarakana Ukakana Kukami-kukamiria.Ɨatira yumitawara Kukamɨ-kukamiria Ritamakuaranuan Amay+unu, Ritamakuara Aterepan. Ikun, ra kakɨrɨ chitaka Kukamɨ-Kukamiria, chitaka Churankɨra, chitaka waina, chitaka niapitsara, chitaka nai, chitaka tuan ra ritama riai chitaka ɨwɨra Ɨwati Tsurimunu.

Wirimi nasceu Aldeia Sapotal, Tabatinga - AM e faleceu Tabatinga - AM, aos 64 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido filho de Wirimi, Ediney Samias. Este texto foi apurado e escrito por Gabriela Veiga, revisado por Edson Pavoni e moderado por Edson Pavoni em 27 de maio de 2020.