Sobre o Inumeráveis

José Guilherme da Silva Machado

1962 - 2020

Gostava de uma boa zoeira, principalmente com a sogra, a quem tanto amava. O sorriso foi sua marca registrada.

José Guilherme era, para alguns, Zé, Zé Guilherme, Gordo... Para Maria Clara, sua sobrinha, era tio Guilherme: "o cara de bem com a vida que não tirava o sorriso do rosto por nada!"

Casado com seu grande amor, Maria de Fátima, teve dois filhos: Felipe, o mais velho, e Rodrigo.

Zé realmente transbordava felicidade. Apreciador de um bom churrasco e uma cervejinha, amava receber pessoas em sua casa e estar em família. E, falando em família, nutria um amor incondicional pela sogra, a quem chamava de "minha rainha". "Vivia brincando e tirando onda com a cara dela, irritando até ela soltar algum palavrão — às vezes, até levava umas bengaladas na cabeça. Ele caía na risada”, conta Maria Clara.

Zé tinha um relacionamento de muito afeto e diversão com toda a família. Gostava de apertar bochechas, abraçar e divertir as crianças da família. Amar o tio Guilherme era inevitável! “Todos os almoços em família, aos domingos, na casa dos meus avós, eram incríveis! Casa cheia, nós ainda pequenos correndo e brincando. Os churrascos na piscina da casa dele, que sempre fazíamos em datas especiais, também eram muito divertidos”, relata com saudade.

Podia não ter muito, mas estava sempre disposto a ajudar quem precisasse. Seu coração era gigante, assim como sua alegria de viver. “Merece ser lembrado como a pessoa de bom coração e sorridente que sempre foi”, conclui a sobrinha com muito carinho.

José nasceu em Lorena (SP) e faleceu em Lorena (SP), aos 57 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela sobrinha de José, Maria Clara Rolim. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Maria Luiza Gonçalves, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 9 de agosto de 2020.