Sobre o Inumeráveis

Allan Vidal Pereira

1984 - 2021

Anjo roqueiro, com cabelo desgrenhado e botas de motoqueiro, aproveitou o caminho de todas as estradas da vida.

Dedicado a ver todos bem, dava o melhor de si em tudo o que fazia; sabia ouvir sem julgar, zelar sem sufocar e cuidar estendendo sua mão na ajuda ao próximo; sua alma refletia beleza e traduzia o amor.

Música, arte e jogos eram uma fração diária de sua vida, amava cinema, ilhas de edição, eventos, sets de gravação, rock, roteiros e histórias em quadrinhos. Carregava em si tanta diversidade de interesses que nenhuma ficha de RPG - paixão em seu cotidiano -, seria capaz de o descrever.

Quem teve o prazer de conhecer Allan, o descreve como um ser angelical e descabelado; cujos pés viviam metidos em botas próprias para andar de moto; era especialista em fazer amizades e conhecer histórias das pessoas que passavam em sua vida, sem distinção.

Grandão de altura com o coração ainda maior, ensinou com seus exemplos as coisas mais simples da vida e iluminava o dia de quem dispunha do privilégio de cruzar seu caminho.

Inesquecível filho, irmão, tio, amigo e profissional. O que fica é a saudade de um homem íntegro e muito amado.

Allan nasceu em Campina Grande (PB) e faleceu em Campina Grande (PB), aos 36 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pela amiga de Allan, Anna Jessyca Lima Portinari. Este tributo foi apurado por Larissa Reis, editado por Karina Zeferino, revisado por Ana Macarini e moderado por Ana Macarini em 24 de maio de 2021.