INUMERÁVEIS

Memorial dedicado à história
de cada uma das vítimas do
coronavírus no Brasil.

Campina Grande (PB)

Adriano Ferreira da Silva, 42 anos

Nada ficava quebrado ou sem solução perto dele; e onde ele estivesse, havia gente sorrindo ao seu redor.

Agenor Isidro da Silva Filho, 54 anos

O melhor amigo da esposa e das filhas. Por elas, batalhou por conquistas e nunca deixou de sonhar.

Allan Vidal Pereira, 36 anos

Com cabelo desgrenhado e botas de motoqueiro, aproveitou o caminho das estradas da vida.

Antônio Pereira da Silva, 64 anos

Apreciava muito as ocasiões em que era possível reunir todos e garantir a farra, pois sua alegria era contagiante.

Charles Douglas Justino de Araújo, 50 anos

Ajudar o próximo era seu lema.

Dávila Maria Da Cruz Andrade, 35 anos

Transbordou amor ao mergulhar nas profundezas de si mesma e da Mãe D'Água.

Elias Santos Sales, 88 anos

Sentado na cadeira de balanço verde, Vô Biu tomava café, ouvia rádio e se divertia vendo novelas infantis.

Elisabete da Costa Silva, 65 anos

Amava pintar e reunir todos ao redor da mesa num sábado à tarde, com cafezinho e muito amor.

Florindo Elias de França, 84 anos

Um contador de histórias que acabou virando o personagem principal das histórias da neta.

Francisco de Assis Rocha do Nascimento, 58 anos

Comerciante nato e trezeano de coração, tinha uma alegria contagiante.

Francisco Miromar de Oliveira, 80 anos

Perseverante, nunca se deixou abater pelas dificuldades.

Jandira Barbosa de Brito, 90 anos

Neta de curandeiro, aprendeu com ele como curar certos males, com simpatias e receitas naturais.

João Alberto da Trindade Neto, 33 anos

Dedicava-se ao próximo com maestria e em cada contato deixava um tanto de si e levava um pouco do outro.

Joarlen Silva Nascimento, 22 anos

Fã de uma boa pizza, Jojo viveu seus 22 anos intensamente e foi amado por uma multidão de pessoas.

José Francisco da Silva, 63 anos

Se referia a família dizendo: "é pequenininha, contudo é linda".

José Otoniel Gouveia, 72 anos

A porta de sua oficina era parada obrigatória para conversas e brincadeiras.

Leonardo Rodrigo Leôncio Andrade, 45 anos

Fazia palhaçadas no momento de tirar fotos e por isso cada uma delas carrega uma história divertida.

Luísa Azevedo Oliveira, 82 anos

Uma artista na cozinha, era especialista em preparar "Bolo Grude", receita de sua autoria.

Macário Moreira da Silva Neto, 41 anos

Realizado como pai, trocava as fraldas do bebê já sonhando com o dia de levá-lo para jogar bola.

Maria do Carmo Fernandes Silva, 67 anos

Minininha Pimenta era cheia de amor, alegria e também de "braveza", se precisasse.

Maria José Gomes Maurício, 74 anos

Mauze fazia amigos por onde passava, até onde o sorriso alcançava. Eita mulher fácil de gostar, essa Maria.

Maria Leandro Taveira, 73 anos

Aproveitou a vida ao máximo, a seu modo, com simplicidade. Gostava de dançar e frequentar as festas de São João.

Marlene Pinheiro da Cunha, 57 anos

Os domingos só eram perfeitos para Marlene com a família em casa, música, e todo mundo falando ao mesmo tempo.

Paulo Henrique dos Santos Melo, 20 anos

Tinha uma facilidade incrível de arrancar gargalhadas de quem conversava com ele, tamanha era sua veia cômica.

Reginaldo Firmino de Oliveira, 54 anos

Pai amoroso e esposo maravilhoso que considerava Irinalva o grande prêmio de sua vida.

Rivaldina Maria da Silva Moreira, 61 anos

Dona Bahia era luz acolhedora e porto seguro para tantos. O sorriso era sua marca registrada.

não há quem goste de ser número
gente merece existir em prosa