Sobre o Inumeráveis

Uraí Tupinambás

1966 - 2021

Por meio de sua arte espalhou cores, e com sua presença levou alegria para os encontros da família.

Essa é uma carta aberta, escrita por Glória e Tunai, ao amado primo:

Perdemos o melhor. O mais querido. O mais animado. O mais "levanta astral". O mais intenso. O exemplar mais Tupinambás que tínhamos. Nossa família tem uma marca registrada. Um "que" de alegria com política. Uma mistura de bobagem com credibilidade. Um amor imenso uns pelos outros. E você representava isso tudo da maneira mais genuína possível.

Foi como se perdêssemos mais da metade do nosso combustível. Seguiremos. Um pouco menos Tupinambás. Com um pouco mais de tristeza. Vai passar. A dor vai passar. E a alegria que era tão evidente em você, Urai, vai voltar a aparecer nas nossas varandas. Lembraremos rindo e chorando de um milhão de encontros, nos quais você nos fez chorar de tanto rir.

Ura, fique sabendo que você será eterno. Sua arte. Sua alegria. Sua força. Seu carinho. Sua intensidade. Todas as suas virtudes ecoarão por esse mundo. Sim, por esse mundo, porque estamos espalhados por aí, os Tupinambás. E você vai seguir pulsando por todos os cantos em que já passou. Lugares em que ainda passaremos para honrar sua memória.

Te amo. Acho que nunca te disse isso. Mas eu amo. E espero que você tenha sentido esse amor em vida. Seguiremos todos te amando.

Aos mais próximos, deixo meu abraço apertado. Não tenho nem o que dizer pra vocês. Só que sinto muito. Muito mesmo.

"A vida é da cor que você pinta. E você, pintava com todas elas."

Uraí nasceu em Itaúna (MG) e faleceu em Itaúna (MG), aos 54 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pelos primos de Uraí, Tunai Tupinambás e Glória Tupinambás . Este tributo foi apurado por Ana Macarini, editado por Glória Tupinambás e Tunai Tupinambás, revisado por Thaísa Sousa e moderado por Rayane Urani em 30 de junho de 2021.