Sobre o Inumeráveis

Anselmo Rodrigues Samias

1963 - 2020

Vivia para semear a língua kokama.

Anselmo nasceu na reserva indígena de Sapotal, próxima à cidade de Tabatinga. Desde jovem, tinha um sonho: manter viva a cultura kokama. Queria que cada pessoa do seu povo tivesse orgulho de ser kokama, e sabia que para isso ensinar a língua era fundamental.
Foi estudar em Tabatinga para tornar-se professor. Alguns anos depois, voltou para a aldeia com a mala cheia de livros e planos. Passou a lecionar na escola da reserva, implementou uma cartilha na língua kokama-kokamira. Tornou-se gestor das escolas da região, treinou professores. Era conhecido por ser calmo, paciente, sempre recebendo alunos e mestres com um sorriso e a frase: vem, meu coleguinha.

Como membro da Federação Indígena do Povo Kokama, tinha um projeto bonito: ir além de sua aldeia, levando a língua para todo o Alto Solimões através dos livros.

Sua vida familiar também foi rica. Casou-se com Lucilene e tiveram 6 filhos. A maior alegria de Anselmo? Estar na comunidade, em meio aos seus. Gostava de desenhar com os filhos menores, pescar com todos.

Partiu abruptamente, sem ter a chance de ser velado segundo as tradições que tanto difundia. Os kokamas costumam enterrar seus falecidos ao som de cantos e orações, deixando frutas ou alimentos sobre a terra, para que a alma faça bem a sua passagem. Anselmo adorava peixe assado e mujica. Que leve consigo esse sabor e o gosto de ter deixado um conhecimento que seguirá vivo.

Se alguém ouvir com cuidado, na voz de muitos kokamas ouvirá seu eco, e também um sonoro: awitse, ikuatawara. Em português: obrigada, mestre.


Sobre o povo Kokama
O povo Kokama-kokamira habita a Amazônia há mais de 2 mil anos. Hoje estão espalhados pela na tríplice fronteira ocupando, no Brasil, a região do alto rio Solimões, com população de cerca de 10.000 pessoas. Além do português, falam a língua originária, kokama, que vem sendo ensinada também como forma de preservação e resistência de sua cultura.

História na língua original Kokama
Kakɨrɨ kupe Kumitsa Kukamɨ-Kukamiria.

ANTSIUMI TSAMIA TSAMIA, uwarin ritamakuara tapɨya Aterepan, amutseweta a ritamakuara Tawatini. Kunumitsui, ra ta wepe tsapichi: tsutsana kakɨrɨ ɨmɨnua kuturashka Kukamɨ-Kukamiria. Tseta chita awa ene ritama ta ɨkɨratse witsaru kukamapura, riai ikuata urian yumita kumitsa tsapɨta.

Ikuarin uri Tawatini iriukua yumitawara. Riantsui wata, iriwa ritamaka tatɨwachiru timitsama iyatiatin kuatiarankana yumita riai tsupiarakana. Utsui kamata ikuatupaka ritamakuara, yauki wepe kuatiaran kumitsa Kukamɨ-Kukamiria. Ra tuitsa ikuatupa tupa, yumita yumitawarakana tsɨmara. Era awa ɨyuru, tɨma ikua yumɨra, eran ikuarinkana riai yumitawarakana wepe apuka riai kumitsa: uri, ta iruakɨra.

Mania uyari Weteratsun Tapɨya Ritamakuara Kukamɨ-Kukamiria, riaiti wepe kamatata kuatiaraka erapaka: ɨmɨntsarayara utsu ritama, erutsu kumitsa epe Ɨwati Tsurimunu ukuata kuatiarankana.

Ra kakɨrɨ iruakana uka tsupiri erapakatun. Mirikuayaratsuri mari RUTSIRENI riai ra 6 (tsokta) taɨrakana. Aipachari tsarɨwa ANTSIUMI? Ritamakuara, mɨtɨri rakana. Tsetarui kuatiara taɨrakana kɨra, tiniari upe epe.

Uchiki petsetaka, yanikaka kuemata na ɨmɨnua kuturashka pararaka. Kukamɨ-Kukamiriakana tseta ikaru, mariatatarakana, chamurapuka mariatawarakana.

Awakana paritsara remutsuna mariatatara, awakana ikua mariata inu chamura. Yanuka ɨwiraia riai eyun yapɨra tuyuka chiuki tuyuka chamura yatɨmachirura. ANTSIUMI ikua eyu ipira michira riai mukika. Erukua ra tse riai tseta riai tseta ichari ikua iniutsu kakɨrɨ.

Amua tsenu erananpika, ra kumitsa epe kukamɨ-kukamiria tsenu ra eku, riai apɨtsakuarataka wepe ícarutaka.

Awitse, ikuatawara / Awita ikuatawara.

Anselmo nasceu Sapotal (AM) e faleceu Tabatinga (AM), aos 57 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido Prima de Anselmo, Glades. Este texto foi apurado e escrito por Giovana Madalosso, revisado por Edson Pavoni e moderado por Rayane Urani em 29 de maio de 2020.