Sobre o Inumeráveis

Antonio Walter Ribeiro

1955 - 2020

Torcedor fanático do Cruzeiro e detalhista ao extremo. Marcante era a forma que ele ajeitava os óculos.

As linhas abaixo são uma homenagem dos familiares para Antonio Walter:

Pra mim, meu tio sabia viver como ninguém. Infelizmente, só percebi isso depois que ele partiu. Foi aí que vi o quanto ele sabia apreciar o tempo. Ele parava para observar um beija-flor no quintal da minha mãe, contemplava os finais de tarde como se contempla uma obra de arte “foi assim que disse um dia”, enquanto andava vagarosamente pelo quintal admirando flores.

Eu achava que ele tinha tempo demais, mas depois percebi que ele estava certo, enquanto ele admirava, aproveitava o tempo disponível, enquanto eu nem as percebia. Quem perdia era eu!



Era o melhor pai do mundo. Pai amado, querido, amigo e companheiro.



Ele sempre contava as passagens dele com riqueza de detalhes e cuidava da alimentação como ninguém. Vivia nos incentivando a comer ovos e a caminhar.

Sábios eram seus conselhos para nós. Todos os dias lembro-me de coisas que ele me falava, dos detalhes do dia a dia.



Era detalhista ao extremo. Ao contar um trajeto que ele havia feito, relatava pra gente com todos os pormenores, chegava a contar por quantos quebra-molas havia passado.



Houve uma manhã em que ele parou pra me falar sobre a importância de se tomar própolis com limão em jejum. E, tudo isso, enquanto eu comia um pão de queijo com café.



Ê, tio Walter... só a saudade! Que bom que hoje conseguimos ver assim! Mas o amor tem que superar tudo.



Amava que os netos o chamassem de pai.



Fanático torcedor do Cruzeiro, dono dos melhores conselhos, filho exemplar e eterno apaixonado pelas filhas e netos!



Ele era a luz, quando o mundo era escuridão...
Ele era a paz quando o mundo inteiro era guerra...
Ele era o mundo pra quem hoje só sente saudade...

Antonio nasceu em São Sebastião do Oeste (MG) e faleceu em Rio Branco (AC), aos 65 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela filha de Antonio, Monaliza Carla Lopes Ribeiro Macedo e demais familiares. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Mateus Teixeira, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 23 de dezembro de 2020.