Sobre o Inumeráveis

Arnaldo de Oliveira Santos

1942 - 2020

Gostava de contar anedotas, era feliz da vida.

Meu tio Arnaldo nunca ficou doente. Trabalhou a vida toda na roça, tinha um sítio onde plantava e criava porcos, bois, cavalos e bodes. O sítio ficava em Rio Preto, interior de Sergipe, próximo da cidade onde morava, Itabaiana. Aos domingos, durante mais de cinquenta anos, Arnaldo vendia produtos de suas plantações como: feijão, arroz, milho e farinha na cidade de Socorro (SE), em uma feira típica do nordeste onde se comercializa de tudo e que atrai gente de todo lugar.

Bem de vida, era feliz em tudo que fazia, não reclamava, estava sempre sorrindo. Gostava de contar anedotas e só falava de mulher. Era viúvo e namorador. Quando o encontrei pela última vez, em janeiro de 2020, ele namorava uma mulher muito bonita que ia duas vezes por semana na casa dele. Ele gostava de elogiar a beleza dela.

Tio Arnaldo me era muito querido. Morei na casa dele por dez anos quando criança. Irmão mais velho de minha mãe, Doralice, ela me mandou para a casa dos tios depois que se separou do meu pai e ficou com os três filhos, além de mim. Tio Arnaldo nunca me bateu, nunca me deu uma bronca, já os outros tios me davam beliscão, puxão de orelha. Eu era desaforada e revoltada, não aceitava a separação dos meus pais.

Arnaldo deixa três filhos e cinco netos. Gostava de beijar e abraçar todos. Bonachão, começou a engordar depois dos 70 anos e pesava 120 quilos quando morreu, em casa. Chegou a ir ao médico, fez exames, mas em quinze dias se foi. Depois da doença, não conseguia andar, nem ficar de pé e chegaram a conseguir uma cadeira de rodas. Ele deve ter pegado a doença na feira de domingo, onde ninguém se protege do coronavírus.

Arnaldo nasceu em Macambira (SE) e faleceu em Itabaiana (SE), aos 78 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela sobrinha de Arnaldo, Coraci Rodrigues Oliveira da Silva. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Carmen Munari, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 31 de julho de 2020.