Sobre o Inumeráveis

Carlos Alberto Grotti

1959 - 2020

Dono de um senso de justiça inabalável e amante do futebol, não tinha quem não o amasse.

Grotti era doido pelo Palmeiras. Não perdia um jogo. Nas derrotas do time, ficava muito bravo. Agora, nas vitórias, a corneta durava pelo menos uma semana.

O amor pelo esporte era tanto que fez até curso de arbitro de futebol, ocupação que exercia aos fins de semana, com os amigos. Com senso de justiça muito apurado, quem o conheceu sabia que ele era a pessoa certa para apitar as partidas.

Porém, uma lesão no tornozelo, causada por problema de saúde, acabou por afastá-lo dos gramados. Precisou recorrer ao departamento médico e passar por cirurgia.

Sem poder correr, Grotti pegou amor pela pesca. O novo passatempo dividia sua atenção com as palavras cruzadas e os netos, pelos quais era apaixonado.

O que ele nunca aprendeu mesmo foi andar de bicicleta. Colecionou tombos. Em uma das tentativas, em um parque, atropelou até um casal de namorados. A família lamenta não ter gravado a cena para reproduzir nas Videocassetadas, o quadro do Domingão do Faustão.

A história representa muito bem Grotti, que era muito brincalhão, qualidade que contrastava com sua face mais sensível. Se por um lado não tinha medo de cair da bicicleta, por outro o medo de injeção era tanto que até chorava para ir ao médico.

Sujeito incrível, não tinha quem não o amasse. Principalmente na família. Casado com Maria Luiza, em 2020 os dois estavam a nove anos de completar as bodas de ouro. Tiveram quatro filhos: Leonardo, Carla, Karina e Pammella.

Sua personalidade sempre aproximou as pessoas. Tinha muitos amigos, que foram sempre laços para a vida inteira.

Quando sua partida chegou ao fim, Grotti foi para o vestiário descansar. É claro, vestido com a camisa verde e branca do time que tanto amava.

Carlos nasceu em São Paulo (SP) e faleceu em Cotia (SP), aos 60 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela filha de Carlos, Karina Grotti. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Larissa Paludo, revisado por Paola Mariz e moderado por Rayane Urani em 19 de setembro de 2020.