Sobre o Inumeráveis

Carminho Oliveira Fernandes

1951 - 2020

Não ia a lugar nenhum sem seu boné do Botafogo e era da Família Boi Garantido na testa.

Da próxima vez que você ouvir um bem-te-vi, repare com atenção e talvez você vai perceber que o canto é, na verdade, "Ei, Carminho! Ei, Carminho!", ao menos, era isso o que o que ele ouvia...

Um dos primeiros tricicleiros de Parintins, Carminho era forte tanto porque realizava trabalhos pesados quanto porque lutou bravamente contra as adversidades da vida. "Um homem muito das antigas", como lembra a caçula Karine, Carminho não gostava de nada que o fizesse se sentir fraco.

Também pudera, Carminho tinha a responsabilidade de cuidar de uma família grande, fruto de um longevo matrimônio com Maria, que lhe rendeu nove filhos biológicos ― Raimunda, Carmilene, Carmem Lúcia, Andrea, Andrei, Adriano, Adnilzon, Alciene e Karine ― e uma filha afetiva ― Nara. Teve ainda vários netos e bisnetos e, com todos, era sério quando tinha de ser e brincalhão, contador de piadas e anedotas quando a vida assim o permitia.

Carminho era um homem de fé e recebeu este nome porque nasceu no dia de Nossa Senhora do Carmo, a padroeira de sua cidade. Enquanto pôde, frequentou a missa todos os domingos, era dizimista e fiel leitor da Bíblia e, de lá, tirava histórias para contar para a família na hora do almoço ou do jantar.

Aos seus, Carminho também passou uma herança que recebeu da mãe Celina: a paixão pelo boi Garantido. Quando jovem, foi vaqueiro e criou o hábito de levar suas crianças ao Curral, local onde acontecem os ensaios para o Festival. "Torcemos para o Boi do coração na testa", conta Karina como prova de que o sangue vermelho da Família Garantido corre mesmo na veia de todos.

É de se entender que um parintinense tenha predileção quase inata por Caprichoso ou Garantido. O curioso mesmo é que Carminho era também um botafoguense apaixonado e, onde quer que fosse, tinha que estar usando seu boné do alvinegro carioca.

Talvez seja um desses mistérios que ninguém explica muito bem... Como o destino, que quis que Carminho pudesse estar em casa, perto dos seus, onde mais desejava estar quando fosse a hora de se despedir deste mundo. Se foi para fazer festa do Boi no Céu.

Carminho nasceu em Parintins (AM) e faleceu em Parintins (AM), aos 68 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela filha de Carminho, Karina Tavares Fernandes. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Larissa Reis, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 26 de julho de 2020.