Sobre o Inumeráveis

Carmo Camilo da Silva

1977 - 2020

Assumia toda a louça da semana quando esposa e filha faziam as unhas. Passava o tempo conversando com idosos.

Carmo era um homem extremamente dedicado à sua família, que teve como base para sua construção, o amor, o trabalho como açougueiro e cabeleireiro, a honestidade e a fé inabaláveis.

Conheceu o amor da sua vida cedo. Quando Ednilza fez 15 anos e ganhou uma festa de aniversário de Carmo. Depois disso, não demorou muito para que se tornassem marido e mulher.

A esposa conta que os dois, apesar da pouca idade, sempre foram muito parceiros e estavam sempre juntos. O companheirismo foi essencial para que ambos pudessem crescer como pessoas e para que o relacionamento triunfasse e gerasse frutos.

Juntos na batalha, saíram do nada para a casa própria que construíram, fazendo com que as coisas melhorassem pouco a pouco. Dessa união, tornou-se pai de Carla, sua princesinha. Ednilza exalta Carmo como pai, dizendo que ele foi "carinho e, acima de tudo, presente".

Como homem da casa, Carmo fazia sua parte em tudo o que podia; cozinhava para a família e lavava as roupas. Quando as mulheres de sua vida decidiam fazer as unhas, ele logo se prontificava, dizendo que as louças da semana seriam responsabilidade sua.

Às vezes, Carmo podia ser bem bravo, mas nada escondia seu grande coração. Carla foi sua única filha biológica, mas ele ocupou o lugar de pai no coração dos sobrinhos que ajudou a criar e educar. Era uma pessoa que ajudava todos e, assim, foi muito amado nos lugares em que frequentava.

Nas horas livres, gostava de tocar violão. Também dedicava parte do seu tempo para ir à igreja e para prosear. Adorava conversar com pessoas idosas e, à sua própria maneira, marcou vidas com essa presença atenciosa e valiosa.

Antes de partir, recomendou à esposa que não se preocupasse, afirmando estar em paz, e fez apenas um pedido para que Ednilza cuidasse de si mesma e da sua sempre princesinha, Carla.

Carmo nasceu em Ji-Paraná (RO) e faleceu em Cacoal (RO), aos 42 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela esposa de Carmo, Ednilza Maria do Nascimento. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Larissa Reis, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 7 de dezembro de 2020.