Sobre o Inumeráveis

Elias Batista Santana

1958 - 2020

Não faltavam alegria, piadas e sorrisos nos divertidos e saborosos encontros da família Santana.

Elias era casado com Edna, com quem teve dois filhos: Talita e Lucas. Também dois, eram os netos: Matheus e Laura. Para o neto mais velho, além de avô também foi seu pai, ajudando a criá-lo.

Trabalhava na tapeçaria do cunhado e depois abriu uma tapeçaria nos fundos de sua casa, onde trabalhava fazendo sofás e estofados. Quando não estava no trabalho, estava em casa com os netos e a esposa, tomando café sem açúcar. Gostava de beber uma cerveja e ir para a casa de algum dos seus oito irmãos.

Era o primogênito dos nove filhos do casal Benedita e Orozino. Assumiu o cargo de patriarca da família Santana com a morte dos pais. “Se fosse a família dos anões da Branca de Neve, meu tio com certeza seria o ‘Feliz’ ”, conta o sobrinho Micael. Pois assim era o Bodão, apelido que veio do trabalho na tapeçaria. Ele sempre tinha uma piada para contar, algum comentário engraçado a fazer e tirava o sorriso de alguém no seu melhor estilo. Era muito alegre, tal qual o personagem.

"Ele era assim, o verdadeiro tio do "pavê ou pacumê?", como relembra Micael. E por falar em comida, gostava sempre de pedir a esposa Edna para fazer a melhor para agradar quem chegasse em sua casa. As comemorações que o “Grupo do Santana” promovia eram sempre no melhor estilo. “Como a família é muito grande, todo mês tem um aniversário. Ele era um dos primeiros a jogar no grupo do aplicativo de mensagens, cada um levava uma coisa pra comer e beber. Ele não deixava passar em branco”, diz Micael recordando os memoráveis aniversários, datas especiais e réveillons que organizavam e faziam com alegria, desde as primeiras mensagens até os encontros presenciais.

Uma outra marca registrada era a Coca Diet, todos sabiam que era dele, pois era diabético. Em 2018, precisou fazer diálise e viajava três vezes por semana para Barretos para realizar as sessões. Quarenta quilômetros separam as duas cidades, tornando a rotina cansativa.

A alegria, as piadas e o sorriso que eram as marcas registradas de Bodão estão agora eternizadas nas memórias dos Santana com saudade dos divertidos e saborosos encontros da família.

Elias nasceu em Guaíra (SP) e faleceu em Guaíra (SP), aos 61 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pelo sobrinho de Elias, Micael Santana Barbosa. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Mateus Teixeira, revisado por Lícia Zanol e moderado por Rayane Urani em 12 de outubro de 2020.