Sobre o Inumeráveis

Eudes Ludgero da Silva

1952 - 2020

Apaixonado por sua sorveteria, ele levou doçura pra muita gente.

Quem provou algum dos sorvetes vendidos por "Seu Eudes da Sorveteria", como era conhecido no bairro, até hoje não se esquece. Querido pelos clientes e familiares, apaixonado pela família e pelo ofício, também foi bancário durante um tempo, mas depois descobriu que ser comerciante era mesmo seu caminho.

Com a renda da sorveteria, que montou depois de ficar desempregado, formou Daniela, a filha que, hoje, é professora universitária.

Também foi pai do Rafael, marido, irmão, amigo de muitos e avô de dois. E casou-se aos 20 anos. Ser avô, para ele, era sinônimo de grandes alegrias. Atentado e conectado, adorava postar fotos com os netos, pois, em suas palavras, "isso lhe rendia muitas curtidas".

Mesmo sério e de poucas palavras, deixava, constantemente, escapar seu lado brincalhão, fazendo graça pra tirar sorrisos inesperados, que também eram os seus.

Sua felicidade era ir à praia e passear no shopping. Festa junina e natal em família estavam incluídas como algumas de suas paixões. Nos natais, tinha como registro oficial comparecer de camiseta vermelha, sempre elegante.

E durante todo o ano, sonhador, fazia sua fezinha na loteria, ansiando pelo prêmio. Mas em todo sua trajetória, não teve prêmio maior do que vencer as batalhas da vida com bravura, e um câncer.

Diante de tudo isso, sabia ser grato. "Se eu sair dessa, te escrevo uma carta de agradecimento", disse Seu Eudes.

Eudes nasceu em Cajazerias (PA) e faleceu em Recife (PE), aos 67 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela filha de Eudes, Daniela. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Weslley Carvalho, revisado por voluntário e moderado por Rayane Urani em 26 de maio de 2020.