Sobre o Inumeráveis

Geraldo Vieira Lima

1933 - 2020

Sempre pegava os netos para passear pela cidade e dizia, orgulhoso: “Antigamente isso aqui era tudo mato!”

Um homem valoroso que deixou a cidadezinha de Paripueira, no interior do Ceará aos 12 anos e foi para cidade grande – Fortaleza, também no Ceará. Ali cresceu, amadureceu, tornou-se um rapaz adulto e cheio de vontade de vencer na vida com honestidade e muito trabalho. O sonho virou realidade, à custa de muito esforço e dedicação. Geraldo casou-se com Fátima, constituiu uma linda família e construiu um sólido patrimônio.

Mesmo sem ter estudos, sem saber ler ou escrever, Senhor Geraldo deixou um legado para seus decendentes: uma transportadora, um posto de gasolina e uma imobiliária, onde trabalham as filhas, Marcia e Claudia, e os netos, Felipe, Bruno, Marcio, Geraldo e Matheus. Felipe, seu neto, lembra com um sorriso de saudade que quando achava que algo era bom de verdade, o avô dizia: “Isso é bom como um todo!”

Fez absoluta questão de oferecer às filhas e aos netos o estudo e a formação educacional que não teve oportunidade de ter para si. Em sua infinita simplicidade, gostava de chamar todos de “mestre”. Mas, para o neto, Felipe, mestre mesmo era o avô Geraldo, essa figura que foi pura inspiração para todos ao seu redor; um homem virtuoso e alto-astral, para quem, tudo o que importava era: primeiro estar perto dos seus e, segundo, o seu trabalho.

Os netos lembram com muita saudade dos tempos de infância, quando o Vovô Geraldo os pegava para passear e mostrar a cidade. Fazia questão de apontar os lugares e dizer “Antigamente isso aqui era tudo mato!”. Fazia esse comentário com os olhos brilhantes de orgulho, diante do progresso que ele também ajudou a construir. Esses passeios com o vovô acabavam rendendo presentes para a molecada; ele rodava a cidade toda atrás dos brinquedos cobiçados pelos meninos e, também, em busca de figurinhas para completar o álbum dos Campeonatos de Futebol. Era aquele avô que toda criança sonha em ter!

Um dia, saiu de casa como de costume para ir trabalhar, o que fazia religiosamente todos os dias, mesmo contando já seus 87 anos. No entanto, como estava um pouco indisposto, disse que passaria no hospital para uma consulta e, depois, seguiria para o trabalho. Esse último desejo Geraldo não conseguiu realizar, infelizmente. Acabou ficando internado, onde veio a falecer.

A família sente demais a falta daquele que sempre foi para todos uma referência de idoneidade, perseverança e superação. Um homem humilde que com seu próprio esforço e resiliência, construiu não apenas um patrimônio sólido; deixa à família o bem mais importante: uma herança afetiva de bons exemplos e virtudes. Geraldo foi ter com os anjos no céu, de onde certamente olhará por todos que amou aqui na Terra. E os que ficaram honrarão sua memória, perpetuando seus ensinamentos, edificando suas vidas no bem e dando continuidade ao sonho do Vovô Geraldo que partiu, mas vai que permanecer vivo para sempre no coração de sua esposa, filhas e netos.

Geraldo nasceu em Fortaleza (CE) e faleceu em Fortaleza (CE), aos 87 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pelo neto de Geraldo, Felipe Sousa. Este tributo foi apurado por Ana Macarini, editado por Ana Macarini, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 11 de junho de 2020.