INUMERÁVEIS

Memorial dedicado à história
de cada uma das vítimas do
coronavírus no Brasil.

Ceará

Abdon Albuquerque Cavalcante, 82 anos

Colocava apelido em todos, era o imitador e o contador de histórias mais engraçado da família.

Alberto Edson Rebouças Holanda, 65 anos

Ele tirava de si para os seus sem pensar duas vezes.

Alcides Alves Costa, 82 anos

Oração e organização eram as marcas de sua história, mas se tivesse bolo de milho e um aluá, ele não resistia.

Aldo di Cillo Pagotto, 70 anos

Ser Fiel a Deus foi um prazer, e não um sacrifício.

Altina Ferreira Rodrigues, 57 anos

Conquistava todo mundo por onde passava com sua risada escandalosa e contagiante.

Aluísio Ferreira Terto, 75 anos

Marcou presença em cinco gerações de sobrinhos. De tão amoroso, era chamado de tio Pão Doce.

Amauri Amora Câmara, 95 anos

Ele ensinou a todos com amor. Professor Amora, "AMOR + A"

Ana Viana Moreira, 95 anos

Profissão: avó.

Antonio Adelino Sobrinho, 81 anos

Honestidade era a maior qualidade, sempre trazendo no rosto um sorriso marcante.

Antonio Ailton Carvalho de Barros, 58 anos

Vivia sempre a cantar: "Oi amor, eu estou aqui, amor...". E tinha uma gargalhada única, que deixa saudade.

Antonio Almeida, 71 anos

Espírita, era a inteligência em pessoa e vai deixar saudades.

Antônio Assinair Ribeiro da Silva, 58 anos

Dono da churrascaria e daquela maminha que só ele sabia fazer.

Antonio Cleantes Rodrigues, 82 anos

O simpático libriano que percorreu sua trajetória fazendo muitos amigos.

António Crisóstomo Freire de Morais, 56 anos

Um homem carinhoso, honesto e muito inteligente. Conversava sobre qualquer coisa, com qualquer pessoa.

Antônio de Pádua Silva, 69 anos

Através do rosto sério, fazia-se de forte, mas era tão sensível que tinha medo de tomar uma simples injeção.

Antônio Everton Chaves de Lima, 49 anos

Urêa, torcedor apaixonado pelo Fortaleza, gostava de fazer todo mundo rir.

Antonio Gonçalves Junior, 55 anos

Na adolescência, fugiu com seu grande amor.

Antônio Ivoní Oliveira Melo, 80 anos

Dono de passos firmes e um coração gigante, foi escritor de lembranças marcantes durante os seus 80 anos.

Antônio Lopes da Silva, 60 anos

Ao lado da família, vivia cada dia como se fosse o último.

Antônio Lucivaldo Vital, 60 anos

Um construtor de lares apaixonado pela sua terra.

Antônio Sérgio de Sousa, 61 anos

Pessoa simples, trabalhadora e amigo dos humildes. Gostava de ajudar. Todos gostavam dele.

Antônio Sérgio Sobreira Cordeiro, 63 anos

Gostava de ser chamado de ‘Serjão’. Um apelido que lhe caía muito bem: um ser humano grande de coração e fé.

Atanildo Alves de Jesus Costa, 83 anos

Um sábio pelas estradas da vida, que deixa um rastro de seriedade, integridade e missão cumprida.

Breno de Castro, 41 anos

Homem íntegro, irmão amoroso, foi bom marido, pai e avô.

Carlilo Floriano Rodrigues, 80 anos

Seu sonho era voltar a andar. Conseguiu, mesmo que por pouco tempo.

Carlos Alberto Castelo Branco, 73 anos

De alma intensa, ele foi um Papai Noel que torceu pelo Ceará, Flamengo e Beija-Flor. Transbordava amor.

Carlos Pereira de Almeida, 59 anos

Um pescador de peixes e de pessoas. O melhor amigo da sua família. A borboleta azul do seu netinho.

Célia Fátima Coelho Belo, 64 anos

Ela amava pássaros, e se encantava com as cores, por isso enfeitava tudo com adesivos.

Charles Luiz Gouveia Machado, 70 anos

Um cearense colecionador de relógios, embora o tic-tac do seu coração batesse mesmo era por Curitiba.

Cláudia Maria Ferreira, 54 anos

Bailarina de coração e sonho, borboleta de alma e dor, furacão de mente e amor: Cláudia deve estar dançando.

Claudio Henrique de Sousa Lima, 69 anos

Fortalecia-se na sua fé, contemplando as ondas do mar.

Clice Maria dos Santos, 70 anos

A família era o seu bem mais precioso. E ela, o alicerce de todos, o motivo da sua luta diária era vê-los bem.

Cosma Rosa da Costa Alves, 83 anos

Dona Cosminha não era apenas dona de casa. Era dona do coração da família e dos amigos.

Cristiano Alcântara, 44 anos

Partiu com a certeza de que iria comemorar a cura da filha.

Damião Bezerra da Silva, 36 anos

Piadista e alto-astral, ele emanava tanta alegria que era impossível não sorrir junto.

Damião Reinaldo de Oliveira, 73 anos

As estradas da vida o levavam sempre de volta ao lar, mas conseguiu deixar um lindo legado e exemplos eternos.

Daniel Martins Brasil, 65 anos

Um homem bom que ensinou através do seu exemplo de perseverança e generosidade.

Domingos Marcelino da Silva, 76 anos

"Ôh, véio bacana!", define a neta.

Domingos Rocha de Freitas, 75 anos

Com seu jeito engraçado, tocava todos os instrumentos musicais e também tocava o coração dos ouvintes.

Edinardo Uchôa Costa, 73 anos

Ele adorava sentar nos corredores do hospital e ouvir as anedotas dos seus colegas e demais funcionários.

Edmar Teixeira de Souza, 75 anos

Em seu tempo livre, deitado na rede, conversava e ria com pessoas queridas no telefone.

Ednardo Uchoa Costa, 73 anos

Médico que servia a população com simplicidade e cuidado.

Eduardo Alfredo Pimentel da Silva, 52 anos

Amante das artes e roqueiro de carteirinha. Um ser notável, que emanava alegria por onde passava.

Eduardo Rodrigues de Mesquita, 79 anos

O inspirado professor cearense que escrevia poemas até em guardanapos.

Egilvan Maciel de Oliveira, 46 anos

Adorava forró, dançava e dizia: "É pra acabar!".

Elizabeth Cintra, 64 anos

Uma médica que nunca fugiu de suas responsabilidades, exerceu sua profissão até seus últimos momentos.

Fátima Batista Barbosa Gomes, 67 anos

Destemida, criou os filhos praticamente sozinha. Avó, gostava de brincar com os netos e bisnetos feito criança.

Fernando Antônio Queiroz Gomes, 59 anos

Era mais que um ótimo primo. Era um ser humano maravilhoso!

Flaviana Silva Antunes, 61 anos

“Se assim Deus permitir “, era sua frase.

Flavio Montenegro Cordeiro, 73 anos

Defensor devotado da coragem.

Florencio Nunes Neto, 52 anos

Despertava em todos o amor, a fé e a confiança em Deus.

Francisca Alcântara da Silva, 58 anos

Com voz e risada contagiantes, conquistava todos ao seu redor.

Francisca Braga do Nascimento, 72 anos

Proporcionou aos seus a educação que não lhe foi possível.

Francisca Cionilde Andrade Carneiro, 71 anos

Para além da profissão que amava, o amor maior de Francisca era mesmo por sua família.

Francisca Cleomar dos Santos Menezes, 72 anos

Era uma mulher do povo.

Francisca Eloísa Pinheiro Marques, 83 anos

Eloísa era o sol que iluminava a vida de seus filhos e netos, hoje brilha no céu como a estrela que os protege.

Francisca Fátima Dias dos Santos, 66 anos

Transformava até seu arroz queimado em alegria.

Francisca Ferreira Coelho, 71 anos

Alegre, noveleira e batalhadora incansável, estava sempre a postos para ajudar e era a faz-tudo da família.

Francisca Jarina Farias, 80 anos

Ininha, como era chamada, ensinou à família o que era o amor incondicional.

Francisca Leda Paula Lima, 52 anos

Leda era sinônimo da alegria e da paz.

Francisco Agamenon Maceda Oliveira, 44 anos

Carinhosamente chamado Menon. Com ele sempre tava tudo bem.

Francisco Alves, 78 anos

Após sua partida, a calçada da Avenida Chanceler Edson Queiroz jamais será a mesma.

Francisco Araújo de Souza, 84 anos

Com certeza deve estar construindo um cantinho bonito lá no céu.

Francisco Barbosa de Sousa, 78 anos

Levou água para muita gente por esse Ceará todo.

Francisco Cláudio Nascimento da Silva, 63 anos

Uma vida repleta de amor. O jeito brincalhão, que fez o sentimento ser recíproco, por onde ele passou.

Francisco Cleytom da Silva Amora, 45 anos

Gostava de passear e fazer a alegria da família.

Francisco Daci Campelo Feitosa, 74 anos

A Sagrada Escritura era sua vida. Através dela, construiu um legado para a família e para o mundo.

Francisco das Chagas Silva, 74 anos

Pai, padrinho e amigo. Deixou um rastro de lembranças boas e saudades em quem o conheceu.

Francisco Edno da Silva, 50 anos

Homem trabalhador, sábio e temente a Deus. Deixa seu exemplo de fé para sua família e amigos.

Francisco Edvane Matias Vieira, 55 anos

De office boy a grande empresário, foi exemplo de perseverança e vanguarda.

Francisco Ferreira do Monte, 54 anos

Um herói. Sua maior virtude era a bondade.

Francisco Galdino Filho, 73 anos

Mais conhecido que farinha, como diz o ditado, Seu Chico Galdino liderava a família e um time de futebol.

Francisco Joaquim Irineu, 98 anos

Era muito querido por sua alegria e histórias contagiantes, que agora invadiram o céu.

Francisco José Ferreira Sousa, 55 anos

Gostava tanto de brincar que até mesmo quando a mãe lhe perguntava como ele estava, Franzé respondia: "Estou bom e gordo".

Francisco Lázaro Pinheiro, 69 anos

Coração bom, o mundo teve a honra de tê-lo por aqui.

Francisco Luciglaucio Rodrigues de Almeida, 43 anos

Um homem de muitos apelidos, mas a resposta mais imediata vinha quando era chamado de pai.

Francisco Moacir Castelo Branco Carvalho, 60 anos

"Onde houver tristeza, que eu leve alegria". Francisco materializou essa oração durante toda sua vida.

Francisco Océlio Alves Farias, 57 anos

A boa amizade do Capacete foi o que valeu a pena.

Francisco Pantoja de Melo, 67 anos

Amava sua família e zelava pelo seu lar, sem jamais se descuidar dos amigos e de quem precisasse dele.

Francisco Pereira da Silva, 78 anos

Amigo de todos, fazia questão de espalhar alegria por onde quer que fosse.

Francisco Rafael Agostinho Araujo, 36 anos

Carregava dentro de si a força de um grande defensor dos direitos humanos.

Francisco Roberto de Sousa, 47 anos

Cantava e dançava sem vergonha de nada. Humilde, brincalhão, exemplo de bondade.

Francisco Rudson Rocha Aquino, 52 anos

Na busca pelo amor ideal, amou bastante; os filhos, principalmente, e a vida sempre, em cada detalhe.

Francisco Tomaz de Aquino, 91 anos

Um agricultor que escutava o cântico dos pássaros e conhecia os poderes da Lua.

Francisco Valmar Oliveira da Silva, 46 anos

Para ele, fazer confusão não valia a pena.

Francisco Wilson da Silva, 81 anos

Todo domingo ele ia visitar alguns filhos e levar chocolate aos netos. Espalhava alegria por onde ia.

Geraldo Vieira Lima, 87 anos

Sempre pegava os netos para passear pela cidade e dizia, orgulhoso: “Antigamente isso aqui era tudo mato!”

Gertrudes Maciel Melo, 90 anos

Mulher forte, criou muitos filhos. Adorava contar causos, cozinhar e costurar. Seus laços são de aço.

Heládio Ferreira de Sousa, 91 anos

Nas horas vagas, ele lia. Nunca ia dormir sem rezar. Honestidade e generosidade eram seus princípios.

Hely Gomes da Costa, 88 anos

Ganhou o título do homem mais cheiroso de Fortaleza.

Humberto Ferreira da Silva, 90 anos

Para onde fosse, tinha um chocolate para oferecer em gentileza.

Inácio Konmarson Pessoa Sousa, 46 anos

Amava a profissão e as estradas. Vai deixar um caminho de saudades.

Isabel Lendengue da Silveira, 85 anos

“Que nossa mãezinha, Nossa Senhora, te proteja!”, abençoava ela.

Isabelle Soares Feitosa, 27 anos

Torcedora fanática do Fortaleza Esporte Clube, amava cachorros como se fossem pessoas.

Ivana Alves da Silva, 46 anos

De voz mansa e sorriso amável.

Ivana Maria Martins Fernandes, 58 anos

Cabelos ondulados e iluminados, olhos expressivos e um coração que transbordava amor.

Izidio Jose Campina Neto, 37 anos

Netinho adorava comer e gostava que as amigas soubessem, assim, nunca lhe faltava um lanchinho de presente.

Jairo César Bezerra, 79 anos

Ninguém, além dele, assobiava lindas canções tão bem.

João Alves da Rocha, 77 anos

Recebia todos em sua casa com amor e carinho.

João Alves de Almeida, 80 anos

Era o mestre cuca dos almoços de domingo e estava sempre de malas prontas para qualquer viagem.

João Batista da Silva, 68 anos

Meticuloso, pagava adiantado suas contas e nunca comprava a prazo. Espirituoso, não tinha nenhum medo da morte.

João Batista Rocha, 84 anos

Com tudo ele fazia piada, criava peixes ornamentais e a todos ele ajudava.

João Batista Sales Sampaio Neto, 75 anos

"Para quem não nasceu em berço de ouro, o estudo é a melhor forma de se rebelar contra o sistema", ele dizia.

João Ernando Pinheiro Maia, 88 anos

Possuía um bar, ponto de encontro de gerações.

João Evangelista Maia, 85 anos

Ajudava até quem ele não conhecia, tirava a roupa do próprio corpo e doava até o seu salário, se necessário.

João Soares Pinto, 93 anos

Que a vida seja uma eterna orquestra, povoada de músicas, alegria e muito amor.

João Teodósio da Cunha, 82 anos

Revelava toda a sua felicidade na simplicidade da vida.

Joaquim Siqueira Neto, 46 anos

Cuidava de quem mais necessitava, especialmente de crianças e menores desassistidos.

José Adalberto Ribeiro Soares, 72 anos

Betinho, o caminhoneiro que amava conhecer as estradas deste mundão.

José Alves Filho, 89 anos

Reunidos na calçada, não entendiam as letras estrangeiras, mas todos amavam ouvi-lo cantar.

José Alves Neto, 77 anos

Todo mundo conhecia o Seu Zezinho da bodeguinha verde.

José Alves Sampaio, 68 anos

Sereno e humilde em todas as suas palavras, Zequinha da Cagece amava trabalhar.

José Arteiro Soares Rodrigues, 80 anos

Um homem que soube ser pacificador ao longo de toda a sua vida.

José Ataíde da Silva, 72 anos

"Zé Ataíde" Aquele que plantou as sementes da civilidade para a formação de cidadãos.

José Duarte da Costa, 66 anos

"Sabia disso? ", era o que ele dizia quando estava prestes a dar sua opinião.

José Epitácio do Amaral, 60 anos

O melhor pai e avô do mundo, amado eternamente por seus familiares.

José Estelito de Assunção Pires, 83 anos

Tão querido que virou verso.

José Felix Filho, 46 anos

Pequeno na estatura, mas de um coração imenso.

José Francisco dos Santos, 60 anos

Um aventureiro solitário, defensor da cultura indígena e das tradições do nordeste.

José Gonçalo de Araújo, 70 anos

"Deus te dê felicidade", dizia sempre que lhe pediam a benção. E assim, além de abençoados seriam felizes.

José Ivan Martins Guedes, 61 anos

Mesmo em meio a tantos nomes pelos quais era conhecido, é difícil encontrar uma só palavra para defini-lo.

José Ivan Rodrigues de Lima, 63 anos

O "cabecinha branca" que deixou as melhores lembranças.

Jose Josafá Rodrigues, 83 anos

O Bom Pastor da família Vieira Rodrigues.

José Lima Cunha, 58 anos

Genioso e de opinião forte, preferia muitas vezes a paz de permanecer em silêncio.

José Nemem Jereissati Netto, 57 anos

Na vida, seu bem essencial era uma boa companhia.

José Onofre Reis do Nascimento, 69 anos

Queria ser lembrado como um ótimo filho e um ótimo pai. Assim é!

José Pereira Marinho, 80 anos

A doçura materializada. Gostava de cozinhar pratos coloridos e era amado pelos gatos.

José Pinheiro da Silva, 77 anos

Numa bela sinfonia, forrozeou com sua luz e sorriso.

José Raimundo Vieira Magalhães, 76 anos

O abraço e a voz forte, a firmeza e a alegria serão sempre seus legados entre nós.

José Sales Lima Verde, 69 anos

Muito feliz e boêmio, deixou uma dose de amor aos que ficaram.

José Sévio Meneses Oliveira, 70 anos

Amava filmes, mas muito mais seus filhos e netos! Deles foi: exemplo, proteção, alegria, amparo e calmaria.

José Sinval de Carvalho Lima, 75 anos

No declínio da vida até a morte se declina, pois no legado deixado a vida nunca termina.

José Valdir da Silva, 71 anos

Viveu, amou e demonstrou com suas ações.

José Welington Barroso Carneiro, 36 anos

José era um otimista, sempre dizia que tudo daria certo.

Josimeire Alves Façanha, 46 anos

Seu doce sorriso e seu amor ao próximo marcaram gerações.

Julia Maria Félix Nogueira, 80 anos

Descendente de povos indígenas, a palavra "Guerreira" descrevia Julia.

Júlio Ferreira da Silva, 90 anos

Com sua bengala na mão, todas as tardes saía para visitar amigos e familiares.

Juraci Araujo Pinheiro Júnior, 54 anos

Pai amoroso, alegre, bem-humorado e teimoso, partiu amando Luna, a neta que não conheceu.

Leonilia da Costa Araújo Monte, 84 anos

Tinha a mania de viver e seu carisma era contagiante.

Lindalva da Silva Pinheiro, 65 anos

Guerreira e batalhadora, uma flor com fibras de aço. Queria transformar o mundo num lugar mais amoroso.

Lionete Ribeiro da Silva, 68 anos

Fez dos amigos os seus filhos, guardados na sua generosidade.

Lisângela Kelly Melo Ponte Avelino, 35 anos

Tinha um sorriso contagiante, que transmitia paz e alegria.

Luís Alberto do Nascimento Barros, 51 anos

Sempre sorrindo, sua alegria era tanta que contagiava todos que estavam ao seu redor.

Luis Carlos Linhares de Oliveira, 56 anos

Levantava mais cedo do que todo mundo só para preparar o café da manhã para a família.

Luiz Agrizi, 40 anos

Luiz merecia mais tempo, mais abraços, mais reencontros. Mas não se pode dizer que viveu ou amou de menos.

Luiz Pereira da Silva, 96 anos

Vovô Luiz era um senhorzinho vaidoso que carregava sempre um pente no bolso e gostava de andar impecável.

Luiz Teixeira Santos, 66 anos

Narrava o clima e os treinos de corrida nos vídeos, sempre cheio de energia e com sorriso estampado no rosto.

Luiza Caldas Vieira, 73 anos

Uma grande guerreira que esbanjava amor por onde passava. Partiu deixando saudades.

Magno Santos, 37 anos

A palavra de Deus era sua bússola. A paixão por Ele, sua marca registrada.

Manoel Alves Moura, 74 anos

Gostava de assistir à TV e ficar em casa com a família, desfrutando da sua rede, nas folgas e nos finais de semana.

Marcos Alberto de Carvalho, 73 anos

"Ô vida boa, ô mundo véi sem cancela!"

Marcos Antonio Freitas Mesquita, 52 anos

Cantava qualquer música, sempre com um jeitinho especial só dele.

Margarida Farias de Oliveira, 80 anos

Nordestina, forte, batalhadora, alegre e meiga.

Maria Amélia Fagundes de Macedo, 83 anos

Só andava cheirosa. Quando chegava nas consultas, os médicos e enfermeiros sempre a elogiavam.

Maria Amelia Lauriano de Melo, 69 anos

Adorava festas, música e uma cachacinha.

Maria Augusta Linhares, 76 anos

Querida por todos e apaixonada pelos três filhos.

Maria Augusta Rodrigues da Silva, 79 anos

"Senta e toma um cafezinho." Foi a pessoa mais acolhedora que Juliana conheceu.

Maria Batista de Sousa, 61 anos

Com ela, não havia cara amuada. Ria de si, dos outros, da vida. Sabia o valor da alegria de estar viva.

Maria Becilda Nogueira Peixoto, 83 anos

Matriarca, gostava de reunir toda sua família e, aos domingos, o almoço era sempre lá.

Maria da Graça Alves Ferreira, 89 anos

Alegre e verdadeira, ela queria todos por perto.

Maria de Jesus Ribeiro Frota, 84 anos

Um dom, uma certa magia, uma força que nos alerta.

Maria de Lourdes dos Santos da Silva, 75 anos

Matriarca da família, acolheu a todos com a grande doçura e dedicação.

Maria do Carmo Silva Sousa, 82 anos

Rainha da alegria, frescor e força, era uma jovem de mais de 80 anos.

Maria do Socorro Cavalcante da Silva, 70 anos

Ajudar o próximo era seu maior dom e os netos a sua maior paixão.

Maria do Socorro Silva, 60 anos

Dedica à família, à vida e ao próximo. Maria também foi muito amada.

Maria Eneida Monteiro, 69 anos

Educadora, mãe e avó, ela era uma fortaleza.

Maria Estela Alencar Vieira, 69 anos

Recheava seus dias com cuidados e carinhos. Farão falta seus conselhos e, até as broncas.

Maria Francisca Juvencio de Sousa, 60 anos

Chica, uma costureira exemplar e dedicada, que ria e gozava da vida em sua plenitude e vigor.

Maria Holanda Ribeiro, 72 anos

"Ninguém sabe o dia de amanhã", dizia. Mas tinha uma certeza: família em primeiro lugar.

Maria Inês Viana, 66 anos

Era doce a nossa baixinha. Uma mulher incrível, doce e forte.

Maria Iolanda Barbosa da Cunha, 78 anos

Os filhos eram tudo para ela, mas seu coração era grande o suficiente para acolher tantos outros mais.

Maria José dos Santos Silva, 71 anos

Mulher forte, de coração generoso, foi uma técnica de enfermagem dedicada, que não deixava ninguém esmorecer.

Maria Leila Jereissati Midauar, 91 anos

Desmistificou a relação nora-sogra. Estava mais para segunda mãe.

Maria Lucy Teixeira, 77 anos

Alegrava-se com as pequenas coisas da vida.

Maria Luíza Sena, 71 anos

Sua lista de melhores coisas da vida: passear com os netos, tomar uma cervejinha gelada encontrar os amigos.

Maria Luz de Castro, 100 anos

Foram 100 anos de luz, lar, cartas guardadas e crochê.

Maria Magalhães Costa, 79 anos

A melhor dançarina de forró que já se viu na região.

Maria Marilza Ferreira da Silva, 74 anos

A rua Helvécio Monte nunca mais será a mesma sem Maria, a amiga de todas as pessoas.

Maria Marques de Moura Rodrigues, 71 anos

Foi um grande sinônimo de simplicidade, alegria, generosidade e muito amor ao próximo.

Maria Miriam Machado de Souza, 60 anos

Era uma baixinha invocada, mas de coração grande.

Maria Valdenice Luz de Azevedo, 60 anos

Gostava de cozinhar com o tempero do amor, cuidar de si e cuidar dos pássaros.

Maritan Lima Gonçalves, 68 anos

Uma mãe muito especial.

Maurício Cavalcante Barbosa, 65 anos

Popularmente conhecido como "irmão".

Milton Castelo Filho, 60 anos

Uma pessoa que reunia todas as qualidades e que acreditava no resultado do bom trabalho.

Monica Barbosa, 35 anos

A mãe da Júlia era dessas pessoas com senso de organização como parte de sua identidade.

Mônica Coutinho Medeiros, 56 anos

Uma alegria que contagiava e encantava a todos.

Nahir da Luz Paes, 84 anos

Mãe de todos, mãe de muitos.

Narcelio Wendel Marques Alves, 42 anos

Ele se doava em organizar, aos domingos, um jogo de futebol entre amigos e familiares.

Nazira Silva Araújo, 84 anos

Não era festa de aniversário se ela não cantasse um trechinho de alguma música.

Neila Alves Bezerra, 81 anos

Tia, madrinha e professora.

Newton Gondim Bezerra, 71 anos

Foi seminarista, veterinário e professor, mas sua real vocação era amar, incondicionalmente, nos pequenos gestos.

Ninon Rose Amorim, 59 anos

Fazia o melhor pão caseiro, a melhor trufa de chocolate e o melhor gnocchi do mundo.

Nyelsen Wesley Ribeiro Arruda, 29 anos

Um cara de coração bondoso, grato pela vida e cheio de sonhos.

Odilon Eufrasio da Silva, 88 anos

Assim como a cidade em que nasceu, a “cidade dos três climas”, ao longo da vida, teve diferentes humores.

Ormenos Vieira Gomes, 46 anos

Tinha um jeito muito peculiar de ser, uma bondade que beirava à inocência.

Oscar Dantas Júnior, 56 anos

Amante da família, pai e avô querido, nunca deixou a alegria sair de cena.

Otalice Araujo Cavalcante, 72 anos

Ativista pela educação, era uma professora que não se calava diante das injustiças.

Quitéria Martins de Almeida, 62 anos

Amava a família, a praia de Iracema e o bloco de carnaval "O cheiro é o mesmo".

Rafael Agostinho Araújo, 39 anos

Dedicou sua existência a transformar vidas através da arte.

Raimunda Maria Soares de Almeida, anos

Gentil e alegre, tinha seu jeito próprio de demonstrar carinho.

Raimunda Miranda da Costa, 88 anos

Sempre dava um jeitinho de mimar seus netos.

Raimundo Araújo Franco, 69 anos

Um fã de Belchior, que amava música brega e vivia dedilhando notas desencontradas em seu violão.

Raimundo Canário Filho, 82 anos

Alegre contador de histórias, tinha mania de se importar com todo mundo.

Raimundo de Sousa Pontes, 86 anos

Das ferragens à paçoca, Raimundo só deixou saudade.

Raimundo Nonato Sales de Souza, 65 anos

Ficaram a alegria, o sorriso e os olhinhos brilhando do porteiro Condomínio Macondo.

Ramone de Sousa Alves (Ramone Kaos), 35 anos

O músico, produtor cultural e ativista que pregava a união e era conhecido pela sensibilidade no trato das diferenças.

Raquel Viana Moreira, 68 anos

Sua alegria era expressada na gargalhada mais gostosa.

Ricardo Halley, 42 anos

Ele se foi e o céu ficou em festa.

Rita de Cássia Carlos Moreira, 75 anos

Amou, chorou, sorriu, enfim, viveu!

Rita Lima Gomes, 55 anos

Uma borboleta com a alma linda!

Robson Domingos Sousa do Nascimento, 46 anos

Deu o primeiro banho de mar no neto. Sempre quis trazer felicidade.

Robson Silva Bezerra de Almeida, 42 anos

Apaixonado pelos filhos, praia e o Fortaleza Esporte Clube.

Rodolfo Costa Pimentel, 28 anos

Um coração revestido de bondade, sem medo de nada e por uma causa tão linda: o amor aos invisíveis.

Rosa Carlos de Araújo, 82 anos

Forte e destemida, fugiu para a capital, onde se tornou a matriarca de uma grande família.

Rosângela de Lima Ferreira, 50 anos

Sem espinhos, Rosa cuidava muito bem do seu jardim pessoal: a família.

Rosilene Maciel de Oliveira, 50 anos

Rose fez da vida um verdadeiro baile.

Sebastião Alves, 78 anos

De servente de pedreiro a advogado, venceu as muitas dificuldades sempre com suas risadas altas e gostosas.

Sebastião Edivaldo de Paiva, 36 anos

O caçula de nove filhos, era aquele que apaziguava qualquer atrito, com seu jeito calmo e companheiro de ser.

Sebastião Rodrigues Sales, 70 anos

Um cabra cheio de histórias, um coração cheio de amores...

Selma Silva de Souza, 68 anos

Vivia sonhando com as viagens e viajando nos sonhos.

Sérgio Alves da Silva, 69 anos

Sempre brincalhão e com um sorrisão estampado no rosto.

Sérgio Armando de Sá e Benevides, 74 anos

O professor-doutor que adorava dançar, cantar e encantar.

Sidney da Silva Dias, 42 anos

Com uma fé contagiante, dizia: “Se Deus fizer, Ele é Deus. Se não fizer, Ele é Deus”.

Silvana Helena de Andrade Linhares, 52 anos

Sempre carinhosa, levava a vida com otimismo e era chamada de Mamita.

Sophia Madeira Barros, 99 anos

Nos bolsos de seus vestidos coloridos, sempre havia moedinhas e bombons para fazer a alegria da garotada.

Teresinha Oliveira, 49 anos

Bastante querida em sua cidade, por mais de 20 anos ensinou muitos estudantes a ler e a escrever.

Tereza Rodrigues Maciel, 74 anos

"Ficar parada? Vou a luta! Honestidade e humildade é tudo", dizia ela.

Terezinha Araujo Lima e Silva, 91 anos

Terezinha gostava de sentar no sofá com as netas e contar histórias.

Terezinha Batista Franco, 87 anos

Apaixonada por flores, natureza, animais e por tudo o que era belo e agradável aos olhos.

Terezinha Soares Xavier, 68 anos

Uma mulher que conseguiu chegar no topo sem se esquecer de suas raízes.

Thina Rodrigues, 57 anos

Mulher trans, negra, travesti, ativista e militante dos direitos humanos da população LGBTQI+.

Thyago Araujo, 32 anos

Thyago do Beto, generoso e amigável. O da lasanha suculenta e das brincadeiras infinitas.

Tiago Dantas de Alencar, 69 anos

Depois de 50 anos no Rio, realizou o grande sonho de voltar para sua terra.

Tiago Julião dos Santos, 35 anos

Amoroso, doava-se e fazia o bem como se fosse inevitável.

Valda Sales Aguiar, 88 anos

Tem uma nova estrela brilhando no céu. O nome dela é Valda.

Vera Lúcia Gonçalves Justino, 56 anos

Encantava a todos com seu sorriso e o zelo com que cuidava da família, sem se descuidar dos seus animaizinhos.

Vera Lúcia Tavares Moreno, 76 anos

Sempre disponível, dedicada e cheia de alegria e amor pela sua família.

Vicente Antônio Garcia Maciel, 58 anos

Tinha paixão por cozinhar e era muito bom nisso.

Vicente Moreira de Souza, 93 anos

Ele era um piadista. Amava estar com os filhos e a esposa, que tratava com um grande carinho.

Vladia Mesquita, 52 anos

E lá se foram pai e filha, de mãos dadas, para a eternidade.

Waldemiro Marques de Melo, 86 anos

Ele gostava de sair aos sábados para tomar sorvete de doce de leite com a sua filha.

Washington Amazonas da Silva, 34 anos

Quando os médicos lhe deram 6 horas de vida, ele nos deu 7 anos a mais. Um vencedor.

Zozima Oliveira de Sousa, 85 anos

A mulher mais forte e guerreira. A melhor avó do mundo.

Zumira Silva Araujo Carneiro, 83 anos

Muito falante, adorava uma boa conversa. Uma avó carinhosa pra ser lembrada como poesia e lição.

não há quem goste de ser número
gente merece existir em prosa