Sobre o Inumeráveis

Guilherme Queiroz

1947 - 2020

Seu anúncio de cuecas Zorba deixou de cabelo em pé a família tradicional.

Meu irmão caçula tinha uma voz tão marcante e uma dicção tão perfeita que deixou a promissora carreira de âncora dos telejornais matinais da TV Globo, e mais recentemente do SBT, para viver apenas da locução publicitária, da venda da própria imagem e de apresentações como mestre de cerimônias.

Sua imagem era tão boa – antes de recentemente passar a cultivar com esmero uma barriguinha marota − que foi muito bem pago para fazer um anúncio de cuecas Zorba, se bem me lembro. Deixou de cabelo em pé a velha guarda da tradicional família Souza Queiroz ao aparecer na TV usando uma das cuecas menores... e nada mais.

Escândalo familiar de verdade, Guilherme conseguiu quando aceitou ser o mestre de cerimônias da festa de lançamento da candidatura Dilma, para horror dos udenistas históricos da família, que não aceitaram sua explicação de que profissionalmente não podia ter cor política e que seria um trabalho como outro qualquer, muito bem pago, por sinal.

Já no futebol, Guilherme não conseguia ter a mesma isenção que no trabalho. Seu e-mail era o ano de fundação do Corinthians e, às vésperas da morte, já delirando no hospital por causa da febre causada pelo vírus insidioso, sacudia um lenço que via como sendo a entrada para um jogo do seu Coringão e insistia que não poderia faltar.

Guilherme foi embora aos 73 anos para um lugar reservado nas arquibancadas do andar de cima. Deixa mulher, duas filhas, netos e três irmãos, que agora só terão dele as gravações com sua voz que, inconfidência que faço, só ficava perfeita quando ele colocava uma minúscula bolinha de chicletes entre os dois incisivos, para não ciciar.

Guilherme nasceu São Paulo (SP) e faleceu Itapecerica da Serra (SP), aos 73 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pelo irmão de Guilherme, Luiz Roberto (Bebeto) Queiroz. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Carmen Munari, revisado por Paola Mariz e moderado por Rayane Urani em 23 de julho de 2020.