Sobre o Inumeráveis

José Cícero da Silva

1954 - 2020

Sua alegria contagiante agora iluminará o céu

Conhecido como Cícero Rosa, José tinha orgulho de pertencer à família dos Rosas. Ficava feliz sempre que alguém lhe chamava de "Rosinha". Para alguns amigos, também ficou conhecido como "Seu Mentira" graças às inúmeras histórias que contava. Entre os sobrinhos, que o tinham como um pai e o adoravam, era chamado de Silvio Santos, porque sempre dizia a famosa frase: "Quem quer dinheiro?"

Foi nascido e criado no interior e gostava muito de milho. Em todas as comemorações, milho era o alimento que não podia faltar e, em qualquer época do ano, até mesmo no Natal. Nas festas em família, era ele quem animava os convidados, com suas músicas, poemas e sua dança de balé, pois costumava dizer que seu sonho era ser bailarino.

Casado há 38 anos, Cícero era um marido exemplar, pai dedicado, presente e amoroso para as quatro filhas. Batalhou dia e noite para não deixar faltar nada para sua família e buscava dar a elas tudo de melhor.

Tendo apenas a chance de estudar até a 4ª série, mas sabendo da importância dos estudos, incentivava-as a nunca desistir. Seu sonho era vê-las formadas. E teve este sonho parcialmente realizado, quando acompanhou a formatura de uma delas.

Apesar das adversidades, Cícero era feliz e fazia as pessoas felizes. Nas festas em família ele era a atração. Animava todos os convidados com suas músicas, poemas e passos de balé. Vivia dizendo que seu sonho era ser bailarino. Suas entoadas e repentes também faziam o maior sucesso.

Nas comemorações não podia faltar milho. Não importava se era São João ou Natal, ele amava comer milho. Essa era uma maneira de se conectar com suas origens alagoanas.

Dono de um coração imenso, sempre procurava ajudar todos.

Trabalhador, que teve seus valores construídos na base da simplicidade e do afeto. Foi um amigo e um profissional que todos admiravam, pois seu trabalho era impecável, era um exímio pedreiro... um pedreiro de primeira! Recebeu dos clientes diversos convites para ir trabalhar em outros estados, pois eles não abriam mão de seus serviços, e disparavam incontáveis elogios. Em quarenta anos de profissão deixou grandes construções realizadas.

Um dos muitos ensinamentos que deixou foi: ser honesto, só pegar o que lhe pertence. Repetiu diversas vezes a frase bíblica "dai a César o que é de César". Também costumava dizer que "amigo de verdade 'é só pai e mãe', quando prestam".

"São ensinamentos que ficaram e serão transmitidos futuramente para seus netos. Sua alegria contagiante vai fazer falta e agora iluminará o Céu. Nós levaremos os momentos que vivemos com ele para sempre em nossos corações. Siga em paz, meu pai", diz a filha Nívea Kelly.

Essas são as melhores lembranças que amigos e familiares terão de Cícero, um homem honesto, trabalhador, responsável e amoroso.

José nasceu em Flexeiras (AL) e faleceu em Maceió (AL), aos 66 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pela filha de José, Nívea Kelly Santos da Silva. Este tributo foi apurado por Miriam Pimentel e Danilo Bezerra, editado por Raiane Cardoso, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 4 de julho de 2020.