Sobre o Inumeráveis

Maria de Deus Saraiva Ribeiro

1949 - 2020

Com um coração enorme, gerou oito filhos no ventre e uma no coração.

Era uma explosão de alegria no olhar, no coração e na vida de quem a conheceu. Todos os seus amados nove filhos, foram curiosamente registrados com a inicial do nome E. Eliana, Eliete, Elinaldo e Elenildo, foram frutos do seu primeiro casamento com Apolônio. Anos depois, casou-se uma segunda vez, com seu eterno amor José Antônio, homem esse que registrou seus quatro filhos do casamento anterior e com quem teve mais cinco filhas: Elisângela, Eliene, Eliziane, Edilane e Eleidiane, a filha do coração.

Sua maior motivação era a sua família, falava com grande emoção dos seus 18 netos e 11 bisnetos. Alguns de seus filhos moravam distantes, mas sempre que dava, reuniam-se para alguma comemoração ou então ela viajava para visitá-los, o importante era não deixar de vê-los.

Trabalhava como costureira e tinha um orgulho imenso de se chamar Maria de Deus ou, como ela costuma dizer, serva de Deus. Com um coração acolhedor, gostava de sua casa sempre cheia, amava dançar, dar e receber amor. Uma mulher amada, todos que a conheceram cultivavam um grande carinho por ela.

Devido à idade, foi acometida por alguns problemas de saúde, mas isso não foi motivo para que deixasse de viver a vida intensamente, como sempre gostou. Já com complicações na saúde, chegou a viajar para a cidade de Santarém, no Pará, onde uma de suas filhas mora, viajou também para a Europa junto de seu amado, para conhecer onde mora outra de suas filhas. Sua vida foi marcada por aventuras.

Maria de Deus aguardava ansiosamente pelo dia de seu casamento religioso, que seria realizado em agosto de 2020, os planejamentos eram grandes, seu grande sonho iria se tornar realidade. Mas desde que dona Maria soube que seu marido havia falecido, também vítima do novo coronavírus, seu mundo desabou, sua vida já não fazia mais sentido, mas pela família, adotou como lema de vida: “Sê forte e corajoso” (Josué 1, 9).

Dias depois também foi acometida pelo vírus, lutou, mas não resistiu e partiu, partiu por amor. O casamento, infelizmente não deu tempo de acontecer aqui na Terra, mas no Céu, com certeza já aconteceu, como ela sempre sonhou. E, que honra se casar no Céu!

Quando já estava internada, seus netos fizeram uma linda homenagem de força para ela, expressando o quanto era querida e amada, ela chorou emocionada e agradecida. Maria de Deus foi uma pessoa muito generosa, amorosa e preocupada com todos, fosse conhecido ou não.

“Depois de sua partida, acreditamos que ela faleceu não apenas vítima do novo coronavírus, mas também por amor. E que teve sim casamento, não como nós havíamos planejado, mas no Céu. O luto existe, a dor é insuportável, mas o que nos conforta é saber que ela está com Jesus, no Paraíso”, relata, carinhosamente, a neta Caroline.

Ela era luz na escuridão de quem a conhecia, hoje no Céu, ilumina a todos.

Para ler a homenagem ao marido de Maria de Deus, a serva de Deus, como ela mesma costumava dizer, procure por José Antônio Ribeiro, neste Memorial.

Maria nasceu em Santa Maria do Pará (PA) e faleceu em Castanhal (PA), aos 70 anos, vítima do novo coronavírus.

Tributo escrito a partir de testemunho concedido pela neta de Maria, Wesllany Caroline Ribeiro da Silva. Este texto foi apurado e escrito por Jornalista Lucas Cardoso, revisado por Lígia Franzin e moderado por Rayane Urani em 2 de agosto de 2020.