Sobre o Inumeráveis

Maria José dos Santos Silva

1949 - 2020

Mulher forte, de coração generoso, foi uma técnica de enfermagem dedicada, que não deixava ninguém esmorecer.

Mazé foi técnica de enfermagem por mais de 30 anos e exercia com dedicação a função de instrumentadora cirúrgica, a qual ela era apaixonada. Ela “chegava chegando” a cada novo plantão, sempre com muita determinação e garra. Era generosa e compartilhava seus conhecimentos com seus colegas, os quais tratava com muito carinho, sendo uma verdadeira mãezona para todos.

Saiu de Fortaleza para trabalhar no Hospital das Clínicas em São Paulo, mas tempos depois retornou para sua terra natal. No âmbito profissional ela deixou o legado de uma boa técnica de enfermagem, que era uma colega solidária e também uma professora acolhedora. Dedicou-se à profissão mesmo na pandemia e partiu fazendo o que mais lhe dava prazer e fazia sentido: cuidar das pessoas com muito zelo e amor.

Seu maior patrimônio era sua família e, junto com seu esposo Antônio Jorge da Silva, teve seus filhos Carlinhos, Cristiane, Alexandre e Allan. Foi uma mãe amorosa e a avó mais brincalhona e criativa do universo. Preocupava-se mais com sua família do que consigo e não media esforços para proteger os seus. Não suportava injustiça e ninguém a segurava quando tinha seus "cinco minutos".

Seus momentos de folga eram sempre dedicados à família e principalmente ao seu neto João, com o qual ela adorava brincar de Beyblade, construir cabanas de lençol, contar histórias e brincar de adivinhação. Aprendeu com seu neto a mexer no Smartphone e, como uma aluna dedicada, era atenta a todas as explicações. A avó mais brincalhona e criativa do universo!

Foi uma mulher guerreira e autêntica, sua marca registrada foi a generosidade. Dona de um coração enorme, nunca negou ajuda a ninguém... Era capaz de acolher qualquer um que entrasse em sua casa.

Exemplo de ser humano, tinha uma alegria contagiante. Sua luz iluminava tudo por onde passava. Com sua garra e determinação, dizia: “Não esmoreça, não!”. Esse era seu lema e, junto com ele, emanava força e coragem. Não importava a situação, sempre escolhia ver o lado bom das coisas. Com muita honestidade, otimismo e fé em Deus, ela corria atrás de suas conquistas.

Foi uma excelente mãe, filha, esposa, avó, irmã, tia e profissional... Foi uma mulher extraordinária, querida por todos.

Sua linda e gloriosa missão aqui na terra chegou ao fim, mas seu legado permanecerá para sempre. Teve uma trajetória brilhante, digna de aplausos. Apesar da saudade, o consolo dos que aqui ficaram é o privilégio de ter convivido com ela.

M ãezona, maravilhosa
A morosa,
Z elosa
E xemplo de ser humano com sua força, humildade, generosidade, dedicação, alegria.
Mazé, Mazezinha... eternamente em nossos corações.

Maria nasceu em Fortaleza (CE) e faleceu no Ceará, aos 71 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pela filha de Maria. Este tributo foi apurado por Michelly Lelis, editado por Andressa Cunha, revisado por Joselma Coelho e moderado por Rayane Urani em 10 de junho de 2020.