Sobre o Inumeráveis

Nyelsen Wesley Ribeiro Arruda

1991 - 2020

Um cara de coração bondoso, grato pela vida e cheio de sonhos.

Meu melhor amigo, meu companheiro de vida. Nyelsen é minha fortaleza, desde que se foi, deixou um enorme vazio no meu coração, no nosso lar.

Foi um marido amoroso, cuidadoso e exemplar.

Sempre colocou o bem-estar do outro na frente.

Vivia a vida com simplicidade, contava histórias engraçadas, que divertiam todos.

Tínhamos muitas brincadeiras de casal, que ficarão guardadas no coração.

Não tinha raiva de ninguém, era a melhor pessoa que já conheci na vida.

Deixou uma grande marca no coração de todos que o conheciam.

O meu amor por ele estará sempre comigo. "Teu amor mudou minha vida".

De sua esposa, Erika Luiza Ribeiro.

-

A sua marca era a alegria, o sorriso fácil e generoso. É assim que vamos nos lembrar dele. Aliás, generosidade era o seu sobrenome, antes mesmo de "Ribeiro".

Um bom amigo, cheio de histórias pra contar, de piadas para alegrar. Não guardava mágoa, seu coração não era abrigo para rancor, nem raiva. Era um cara pacífico.

Participou do grupo Amigos Solidários. Agiu mais do que falou, ouviu mais do que falou. Levou sopão para as pessoas carentes, distribuiu mais do que alimentos e roupas, distribuiu carinho e amor ao próximo, sem pretensão nenhuma, só para doar-se, para fazer o bem, ver um mundo mais justo.

"Arrisco dizer que, ver um mundo mais igual era um dos seus sonhos.

Estávamos distantes, mas nem por isso paramos de reconhecer a amizade um no outro. Tenho certeza. Nada, nenhuma diferença ou adversidade jamais colocou fim nesta admiração recíproca. Jamais deixaremos que se apague a sua história, sua generosidade. Você só semeou o bem. Foi e sempre será um Amigo Solidário."

De seu amigo, Jefferson Privino.

-

Sorriso fácil e bondade eram algumas qualidades que vinham associados ao seu nome. Meu único e eterno irmão. Me viu nascer e crescer. Tenho imensa admiração pelo o homem que se tornou. Sempre comentava com minhas amigas e próximos “Como eu queria um esposo como meu irmão”. Você foi e sempre será um bom marido, filho, irmão, amigo e exemplo de homem. Sua conduta sempre foi pelo caminho certo. Fico com o coração imensamente feliz em dizer que fui sua irmã, a piveta que cresceu, como você sempre disse né? Fica com Deus, sei que estás com Ele. Ah, não se preocupa, viu? Estou cuidando de todos aqui pra você! Sua eterna esposa, sua mãe a “bruxinha”, e o pai.

Da eterna admiradora e irmã, Nathalya Ribeiro Arruda.

-

Um ABRIL que não abriu. Um abril que levou a esperança de um jovem tão novo. Tantos sonhos, tantos sonhos a realizar, tantas opções para oferecer, tantos sorrisos ainda a oferecer, tantas alegrias ainda a sentir e tantas coisas que ficamos sem nada, só as lembranças de um filho amado.

Te amo pra sempre, Nyelsen.

Um ABRIL que deixou nossas almas triste. Levou minha única certeza que tudo daria certo, uma única certeza, a certeza que tudo daria certinho. Deixou uma mãe acabada, uma esposa sem esperança.

Então... Caminhamos sem ele... Mas, com a certeza que nunca será esquecido.

Fica com Deus, meu filho!

De sua eterna mãe, “Bruxinha”, Maria Luiza Ribeiro Arruda.

-

Quem conhecia ele sabe o cara bom coração que era, um amigo, um filho, um esposo alegre e dedicado. Mas acho que a palavra que mais o define é: tranquilidade.

Ele era aquela pessoa que transmitia calma e tranquilidade, até em falar. E a alegria dele a todos contagiava, era muito bom nos reunirmos naquela área e rir de qualquer história que ele ou nós tivéssemos pra contar.

Você nos ensinou muito com a sua simplicidade e sua alegria pela vida, meu amigo.

Vai em paz. Vai cuidando da gente, daí de cima; que aqui, nós vamos cuidando de tudo também.

De sua amiga, Daniele da Silva Paula.

-

Às vezes não estamos preparados para as situações difíceis, mas precisamos ser fortes. Nos reconforta as boas lembranças de tudo que vivemos e nos anima acreditar que estás em paz.

Você ficará eternamente vivo em nosso coração.

De sua tia, Vanda Penha.

-

“Ah, como era jovem”. É o que muitas pessoas dizem ao saber a idade do Nyelsen. Sim, ele era jovem, mas parecia ser muito mais maduro do que seus 29 anos. As tão conhecidas mechas brancas, sua marca registrada, já mostravam um pouco isso. Com o sorriso meio tímido, lembro muito dele nos ajudando com a mudança do apartamento. Subindo e descendo as escadas repetidas vezes e, mesmo cansado, dizendo: “eu aguento”. E como ele aguentou. Um verdadeiro guerreiro. Foi nos preparando para que o dia chegasse... e, para que chegássemos à conclusão de que pessoas boas demais precisam ficar ao lado de Deus e nos olhar lá de cima.

Em vida, ele esteve ao lado da esposa em muitos momentos felizes (e haja felicidade!); mas em alguns bem dolorosos. Foi um verdadeiro anjo da guarda, dando conselhos e apoiando, como se já soubesse que sua trajetória aqui seria mais breve que a nossa... mas não menos importante.

Nyelsen deixa a esposa, a irmã, a mãe, o pai, os amigos, e a família Tavares cheios de saudade. Obrigada por toda a alegria que compartilhou conosco.

De sua prima, Roberta Tavares.

-

Um amigo, uma pessoa generosa, de paz, que Deus levou, mas que continua vivo, e muito, no meu coração.

Um anjo em pessoa!

Saudades!

De sua amiga irmã, Alice Tavares.

Nyelsen nasceu em Fortaleza (CE) e faleceu em Fortaleza (CE), aos 29 anos, vítima do novo coronavírus.

História revisada por Rayane Urani, a partir do testemunho enviado por familiares e amigos , em 2 de maio de 2020.