Sobre o Inumeráveis

Osvaldo Rocha da Silva

1961 - 2020

Ao se tornar avô, ele deixou a timidez de lado para expressar todo o amor que tinha dentro do peito.

Osvaldo era um sonhador nato. Foi motorista não só por profissão, mas também por paixão. Amava dirigir e tinha sempre várias histórias para contar.

Como pai, era "um pouco tímido para expressar seu amor, mas seu carinho era sempre sentido quando mandava mensagens de celular, mesmo que fossem um simples 'oi'", conta a filha Aline Cristina.

Depois que se tornou avô, porém, a família descobriu quão babão e amoroso ele ainda era. André, seu neto de 5 anos, era seu maior orgulho.

Osvaldo será lembrado como um homem que, apesar da saúde frágil, não deixava que isso fosse um obstáculo para viver. Aline Cristina diz que a maior lição que aprendeu com o pai é jamais deixar de sonhar.

“Ele viveu, sonhou, amou e nos deixou. Deixou a saudade em nossos corações, um neto que vive olhando para o céu para matar a saudade do avô e sua única filha ainda sem acreditar no que aconteceu. Sonhe, apenas sonhe. O sonho nos move”, ela conclui, saudosa.

Osvaldo nasceu em Pirapozinho (SP) e faleceu em Araucária (PR), aos 59 anos, vítima do novo coronavírus.

Testemunho enviado pela filha de Osvaldo, Aline Cristina Gama da Silva Moraes. Este tributo foi apurado por Malu Marinho, editado por Maria Alice Freire, revisado por Otacílio Nunes e moderado por Rayane Urani em 18 de setembro de 2020.